Vinho & História: O Emocionate Ritual do Sabrage

O  Sabrage  é algo que faz parte do imaginário de quase todo apreciador de vinhos. Não só pelo espetáculo em sim, mas, sobretudo, por toda a história que envolve este ritual.

QUANDO SURGIU O SABRAGE ?

A técnica remonta aos tempos de Napoleão Bonaparte (século XVIII), quando o general e seus soldados costumavam celebrar suas conquistas com garrafas de champanhe abertas com seus próprios sabres (espadas).

sabrage-720-678x362

No livro A Viúva Clicquot, de Tilar Mazzeo, há uma passagem que narra a forma como os combatentes sabravam as garrafas, quase sempre após saquear as caves de algumas das Maisons mais respeitadas da Champagne, região vinícola francesa que fora palco de inúmeras batalhas ao longo da história.

 PARA MOMENTOS DE CELEBRAÇÃO

Hoje em dia,  o ritual da sabrage costuma ser empregado em eventos e datas festivas, geralmente com o intuito de celebrar aniversários, casamentos, enfim, aquelas celebrações memoráveis em que a abertura do espumante é um dos momentos mais esperados.

COMO SABRAR UM ESPUMANTE PASSO-A-PASSO

1- Remova a cápsula e a gaiola da garrafa de espumante, champanhe, cava, prosecco ou lambrusco.

2- Com a mão esquerda, segure a garrafa na base, colocando o polegar no fundo côncavo da mesma. Incline a garrafa para frente e para cima.

3- Com a mão direita, segure o sabre (já vi gente fazendo com objetos alternativos, como faca e até colher de cozinha).

4- Num golpe firme, deslize a lâmina contra o gargalo da garrafa, a fim de que o mesmo se rompa. Em seguida, sirva o espumante para os convidados e prepare-se para o brinde.

O ESPUMANTE IDEAL PARA O SABRAGE

De preferência, o sabrage é feito em um Champanhe ou espumante que tenha sido elaborado pelo método “champenoise”, que consiste resumidamente em ter havido uma segunda fermentação na própria garrafa. Esta deve se encontrar na temperatura adequada (serviço) e estar, normalmente, a uma pressão interna em torno de 4 a 6 atmosferas.

Os outros métodos de elaboração de espumantes, por exemplo, Charmat, Asti, etc., podem não proporcionar o mesmo efeito ou dificultá-lo pela possibilidade de terem as garrafas, líquido em pressões menores, um dos fatores contribuintes ao êxito na abertura.

Resumindo, o trinômio “Pressão Interna Alta em relação ao exterior + Temperatura Baixa + Concentração de Tensão na extremidade da garrafa” facilita o trabalho.

OBS: Pode-se tranquilamente beber do vinho que foi sabrado, visto que a alta pressão interna da garrafa impede que fragmentos de vidro entrem na mesma. 

ATENÇÃO: O ritual parece ser simples, mas demanda algumas medidas de segurança. O ideal é que seja feito apenas por enófilos experientes e que dominem a técnica. 

Agora, fiquem com um vídeo que eu adoro! Em câmera lenta e protagonizado pela Madeline Puckette , da Wine Folly. Veja como parece fácil. E, sim, ela utiliza um uma colher e, em seguida, uma faca de cozinha para finalizar o ritual.

Imagem: thecultureclique.com

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s