Wine Drinks: Prosecco, Amoras e Um Toque de Alecrim Dá o Tom da Primavera

Viníferos, hoje trouxe wine drink inédito e que tem tudo a ver com a Primavera. Quem me conhece sabe da minha paixão por ervas aromáticas. Amo todas! Ultimamente tenho cultivado vasinhos aqui em casa e esta semana, por coincidência, fui presenteada com um de alecrim, que na minha opinião, é um dos mais perfumados. Sem falar que dá um up no humor, sendo utilizado, inclusive, para tratar a depressão.

ALECRIM: PERFEITO PARA DAR UMA BOSSA NOS DRINKS

Sendo assim, nada melhor do que reunir alecrim e um belo drink com vinho, do tipo refrescante, que tem tudo a ver com a estação! O alecrim é uma das ervas que mais combina com coquetéis. Se você colocar no fogo com água e açúcar, vira um xarope aromático capaz de incrementar qualquer mistura.

blackberry

O wine drink de hoje chega com um toque doce e herbáceo, combinados à efervescência do Prosecco, vinho italiano produzido com a uva Glera. Anote a receitinha!


Ingredientes:

2 xícaras de amoras frescas
1/4 de xícara e mais 2 colheres de sopa de açúcar
2/3 de xícara de água
1.5 colheres de sopa de alecrim fresco finamente picado
1 (750 ml) garrafa Prosecco (vinho branco espumante italiano), gelada
Para enfeitar: raminhos de alecrim frescos e amoras

Modo de Fazer:

Misture as amoras, o açúcar, a água e o alecrim em uma panela pequena. Mexa até engrossar e reduzir em cerca de dois terços, durante cerca de 20 minutos.

Despeje numa peneira e coe sobre uma jarra de vidro e deixe repousar por 5 minutos (deve sobrar cerca de 1/3 de xícara). Descarte os sólidos. Cubra a jarra e coloque na geladeira.

Divida o Prosecco entre 6 pequenas flautas e, em seguida, despeje 1,5 xícaras de xarope em cada bebida. Voilá! Surpreenda seus convidados!


Então é isso, pessoal! Fim de semana com amigos e drinks é tudo de bom! Ah, e se você quiser cultivar alecrim na sua casa, descobri que eles gostam de muita água! Portanto, regue todos os dias. Afinal, nada como poder colher os próprios temperos.

Até a próxima! Ótimos Vinhos e Drinks! Tim-Tim!

Referência: http://www.bradfordgreenhouses.com

Anúncios

Wine Drinks: Brinde à Vida com Pisco e Espumante Rosé (Morango Sparkler)

Como visitar o Chile e não trazer uma garrafa de pisco na mala? E, chegando em casa, claro, comecei a explorar a internet em busca de receitas de drinks diferentes, que saíssem do tradicional “Pisco Sour”. Até que, enfim, encontrei uma que une o destilado com nada mais nada menos que Espumante Rosé (uma das minhas paixões!). O resultado é mais um Wine Drink inédito aqui para vocês.

O diferencial dessa receita é o Xarope Simples de Morango, que serve, ainda, para saborizar outros drinks e soltar a criatividade. Por isso, primeiro vou te ensinar a fazer esse ingrediente. Anote aí:

Ingredientes:

1 kg de morangos lavados e cortados em pedaços
2 kg de açúcar
300 ml de água

Numa panela alta coloque o açúcar e a água, leve ao lume e deixe ferver 5 minutos. Junte os morangos e deixe ferver mais 8 minutos em lume baixo. Desligue o fogo e coe através de um passador de rede fina. Deixe arrefecer e engarrafe, rolhe bem. Guarde em local fresco.

 

Strawberry-Sparkler-Pin

Sim, e agora vamos à receitinha do Morango Sparkler, para você curtir com os amigos no happy hour, no almoço, jantar e por aí vai… Satisfação garantida! Olha só:

MORANGO SPARKLER

Ingredientes:

  • 1 dose de Pisco
  • 1/2 dose de xarope simples de morango (o restante do xarope que  você preparou pode ser guardado numa garrafa e ir para a geladeira, para outros drinks)
  • 3 doses de espumante rosé de qualidade (de preferência seco, sem açúcar residual)

Modo de Preparo:

Junte o Pisco e o Xarope Simples de Morango no fundo de uma flute, tulipa ou copo long drink. Despeje o Espumante Rosé na taça ou copo.  Decore com um morango na borda, assim como na foto abaixo, e voilá!

Sparkling-Strawberries-Social

Então, viníferos, eu já estava com saudades de publicar um Wine Drink inédito para vocês. Afinal, nada como dividir uma paixão com os amigos. E, além do vinho, também gosto muito de mixologia e tudo o que envolve o assunto “Coquetéis”.

Sem falar que quem me conhece sabe o quanto sou entusiasta dos Vinhos Rosés e faço de tudo para divulgá-los por aqui e desmistificar alguns preconceitos.

Até a próxima! Bons Vinhos! Ótimos drinks! Tim-Tim!

 

*Referências: Vine Pair, Blog horta e cozinha, Petiscos. 

Wine Drinks: A História da Sangria

Sem dúvida, a Sangria é um dos drinks mais populares entre os brasileiros. Só perde para a caipirinha! E, sim, ela é feita com o nosso néctar de Baco. Quando criança, tenho lembranças de ir a restaurantes com meus pais e vê-los pedir sangria, numa época em que os vinhos finos tinham o preço elevado e a alternativa para essa delícia era o bom e velho vinho de garrafão.

 

Pois bem, os tempos são outros (que bom!) e as sangrias se sofisticaram. Hoje em dia, desfrutamos de sangrias de vinhos tintos, rosés, branco (o famoso Clericot) e até azul, que virou moda na Europa. E vocês conhecem a história desse clássico Wine Drink?

sangria2

Bora descobrir!

Durante anos, a sangria tradicional ocupava das toalhas xadrez de piquenique aos restaurantes com mesas ao ar livre. Afinal, esse drink  tem o poder de se adaptar a qualquer ocasião. A receita clássica, todo mundo sabe. Basta misturar seu vinho favorito a qualquer ingrediente a mão, os mais emblemáticos são frutas e ervas aromáticas.

COMEÇOU COM GREGOS E ROMANOS

Sangria é um nome espanhol. E, realmente, se trata de um dos coquetéis mais tradicionais da terra de Cervantes. Porém, os primeiros a misturar seu vinho com açúcar, especiarias, frutas e tudo o mais que estivesse disponível foram os gregos e os romanos. Na época, essa bebida era chamada de “Hipócrates” e às vezes era aquecido como vinho quente. O Hipócrates é provavelmente um antepassado comum entre a sangria e o vinho quente e foi consumido em todos os lugares em que a água era infestada de bactérias e insegura para beber.

sangria2 (1)

Ou seja, um toque de álcool deixava o líquido “bebível” e misturar frutas e especiarias diluía o vinho ao mesmo tempo que dava sabor. Na Espanha moderna, o povo fazia algo semelhante com o néctar de videiras plantadas pelos fenícios em torno de 1.100 a.c e, posteriormente, com as vinhas plantadas pelos romanos. 

ATÉ QUE ENFIM, ESPANHA!

Porém, nos anos 700, o negócio do vinho espanhol e, de quebra, o negócio da sangria espanhola, caíram por terra. Os mouros islâmicos conquistaram a península em 711 e a Sangria não retornou até que a invasão dos mouros terminou em 1492. A partir daí, com o retorno do vinho, houve o retorno da sangria.

O nome Sangria, em espanhol, tem a ver mesmo com sangue e se refere ao vinho tinto utilizado na bebida. Tradicionalmente, ela era elaborada com Tempranillo espanhol, entre outros vinhos da região da Rioja. Mas, apesar disso, é fato que existem vários estilos de sangria e até hoje o povo solta a criatividade. 

FRANÇA, INGLATERRA E PRONTO! A SANGRIA GANHA O MUNDO!

Logo, nos anos 1700 e 1800, outros tipos de sangria foram criados na Inglaterra e na França, com uvas tradicionalmente francesas. Havia sangria de vinho branco, espumante e a elaborada com pêssegos, chamada “Zurra”. A bebida, em todos os seus estilos, teve, ainda, flashes de popularidade nos EUA, sobretudo em restaurantes espanhóis e determinados bares das grandes cidades.

sangria1

Até a Tailândia, que não tem nenhuma herança européia, possui sua versão da sangria, feita com saquê e curaçao. Devido ao nosso intenso calor, a sangria, obviamente, também se popularizou no Brasil. Ultimamente, o Clericot (feito com vinho branco) virou moda por aqui. Chique e refrescante!

De forma bem objetiva, a sangria é feita com 1/3 de tinto seco, 2/3 de água, pedaços de frutas como maçã, uvas, peras e abacaxi, e açúcar a gosto. Mas, dependendo do país, região e estação do ano, a receita pode mudar em relação à variedade das frutas e à mistura de outras bebidas.

Atualmente, de acordo com a legislação europeia, toda sangria deve ser feita na Espanha ou em Portugal, com menos de 12% de álcool por volume. A melhor sangria, no entanto, é  aquela que a gente faz em casa mesmo!

RECEITAS DE SANGRIA

Agora, com vocês, algumas receitas de sangrias da nossa série Wine Drinks. Para fazer em casa e saborear.

Sangria Rosé

Sangria de Romã e Alecrim, Skinny Girl Sangria, Sangria de Vinho Branco com Melão e Kiwi

Clericot Tropical

 


Então é isso, enoamigos! Sexta-feira e nada como curtir uns bons drinks com os amigos. Se for com vinho, então, é bom demais!

Até a próxima! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

Referências: VinePair, Sonoma

 

 

WineChef: Sorbet de Framboesa com Vinho

Mais uma vez, após algumas horas zapeando a internet em busca de receitas elaboradas com o nosso néctar de Baco, me deparei com essa delícia de sorbet. Já quero!

zinfandel-chocolate

O QUE É SORBET?

Diferente do sorvete, o “sorbet” é elaborado com água e frutas, sendo, por si só bem mais simples e leve, com uma textura granulada bem característica. Não possui nenhum tipo de gordura, seja a vegetal ou a animal. Logo, o resultado é um “sorbet” com consistência bem mais fina, muito usado para limpar o paladar ao final de uma refeição.

Tanto o sorvete quanto o sorbet são compostos por pequenos cristais de gelo formados durante sua produção. Por isso, recomenda-se que seja armazenado de forma adequada, ou seja, mantenha-o no freezer numa temperatura média de -18ºC, tomando cuidado para nunca deixar que chegue ao estado liquido.  Só assim o sorbet manterá suas características.


SORBET DE FRAMBOESA COM VINHO

Agora, vamos à receita do Sorbet de Framboesa com Vinho. Para fazer essa delícia, você vai precisar de apenas quatro ingredientes (três, se contar que um deles é a água que a gente tem em casa).

IMG_6300

Para fazer essa delícia, é necessário ter uma máquina de sorbet, como a famosa Yonana. Sei de muita gente que tem e não sabe o que fazer com ela. Então, a hora é essa! Estou louca para testar aqui.

Anote a receita:


Ingredientes

1 xícara de açúcar
3/4 xícara de água
1 garrafa de vinho tinto frutado, como Merlot, Zinfandel ou Beaujolais
3 xícaras de framboesas (congeladas ou frescas)

Modo de Fazer

Numa panela média, leve o açúcar, a água, as framboesas e o vinho tinto e deixe ferver por 1 minuto, mexendo até dissolver o açúcar.
Retire do fogo, cubra e deixe repousar por 1 hora.
Para triturar as bagas e remover as sementes, despeje a mistura num processador de alimentos ou liquidificador até ficar homogêneo. Em seguida, usando uma espátula de silicone, pressione a mistura através de um coador, colocando-a numa tigela média. O ideal é que não reste nenhum vestígio de sementes das framboesas.
Cubra e refrigere até ficar completamente gelado.
Congele numa máquina de sorbet (do tipo Yonanas) de acordo com as instruções do fabricante.


Sem dúvida, é uma sobremesa fácil de fazer e ao mesmo tempo uma opção perfeita para encerrar um jantar romântico ou reunião com os amigos. Quero experimentar fazer sem o uso da Yonana (só colocando no Freezer), para ver como é que fica.

IMG_6266

Com certeza darei o feedback para vocês!

Então é isso, enoamigos! Até a próxima!

Boa semana! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

Referência: Butterlustblog.com

 

 

 

Wine Drinks: 3 Coquetéis com Espumante para Agitar Seu Happy Hour

Além dos vinhos, eu amo o mundo da coquetelaria! Tanto isso é verdade que não abro mão dessa série de posts, que sem dúvida é uma das mais amadas pelos meus leitores, desde o início do Vila. Para mim, trata-se de uma ciência quase como a da gastronomia. Só que, aqui, é a magia de reunir nuances e sabores para criar uma bebida única e inesquecível!

MINIDRINKS008-Blog-2

Sim, sabores alcoólicos instigantes, como o do nosso amado Espumante Brut! Para esses casos, as pessoas costumam usar um Charmat para economizar. Mas, na sinceridade? Eu arriscaria um vinho elaborado pelo método tradicional (champenoise), mais complexo, sobretudo em aromas. Aquele cheirinho de “pão tostado’ faz sim, toda a diferença! Amo!

E foi pensando nisso que hoje trouxe 3 receitas deliciosas de Winedrinks com Espumante. Seja para você curtir num happy hour com os amigos ou num momento a dois, com certeza elas são garantias de sucesso!

1- BIG APPLE

Ingredientes
1 colher (sobremesa) de açúcar ou adoçante
1 colher (café) de canela em pó
1 fatia fina de maçã verde em meia-lua
90 ml de espumante brut
Modo de fazer
Numa tigela, misture bem o açúcar e a canela em pó. Envolva a lâmina da maçã com a mistura, formando uma crosta. Reserve. Em uma taça flûte ou tulipa, despeje o espumante. Junte a maçã em crosta e sirva.
big-apple-drink-com-champagne-ou-espumante
2- BERRY BUBBLES
Ingredientes
6 fatias finas de morango fresco
10 ml de licor de framboesa
10 ml de licor de amora
75 ml de espumante BRUT em uma taça flûte ou tulipa
Modo de fazer
Junte as lâminas de morango e os licores. Complete com o espumante e sirva.
berry-bubbles-drink-com-champagne-ou-espumante
3– FRISCO

Ingredientes
10 ml de xarope de hortelã
75 ml de espumante BRUT
1 folha de hortelã para decorar
Modo de fazer
Em uma taça, despeje o xarope e complete com o espumante. Decore a borda da taça com a hortelã e sirva.
frisco-drink-com-champagne-ou-espumante
Esses são drinks refrescantes e deliciosos, que combinam com qualquer estação do ano. Até para os dias mais frios, funcionam muito bem como Welcome Drink antes da degustação de brancos, rosés e tintos.
Ou seja, são chiques e fazem bonito em qualquer ocasião!
Então é isso, enoamigos! Até a próxima!
Ótimos drinks! Tim-Tim!
*Referências: Noiva com classe

Wine Drinks: Aprenda a Fazer um New York Sour

Sim, sexta-feira! Dia de receitinha de Wine Drink para alegrar o seu fim de semana! E hoje eu trago um coquetel que já se tornou um clássico, visto que reúne o que há de melhor na mixologia ao nosso amado néctar de Baco.

new-york-sour-horizontal-crdt-casey-claflin

HISTÓRIA

O drink foi criado  no século XIX, na cidade norte-americana de Chicago, sendo que no início do século XX o mesmo já era conhecido como New York Sour. Uma tremenda inovação para a época, que misturava o Whiskey Sour com um float de vinho tinto.

A rota percorrida  pelo coquetel de Chicago até se tornar “New York” é desconhecida, mas a revitalização da técnica pode ser atribuída a David Wondrich, que a descreve em seu livro Imbibe!. Trata-se do  “claret snap”.

O método do “snap” (toque) de Claret (vinho tinto) era tão forte em Chicago, que numa entrevista de 1883 um bartender diz: “Os homens que tomam sours esperam receber o toque de vinho em todos bares, e quando este não é colocado fazem questão de pedir.”.

CADA TIPO DE VINHO PODE CRIAR UM DRINK DIFERENTE

Sem dúvida, o bacana do Sour é que cada variedade de tinto pode dar origem a coquetéis com nuances diferentes. Por isso, é bem legal testar com diversos tipos, como Malbec, Carmenére, Merlot, Cabernet Sauvignon… a fim de descobrir o New York Sour que mais combina com o seu paladar.

Para preparar o Float de Vinho, o ideal é derramá-lo sobre as pedras de gelo que estiverem no copo, mas pode-se utilizar uma colher para auxiliá-lo a formar a camada de vinho. Trata-se de um efeito visual lindo para qualquer drink, que obviamente, só é possível graças ao nosso amado néctar e permanece durante toda a duração do coquetel, desde que se beba um gole que também pegue a camada que corresponde ao whiskey sour.

Ou seja, beber somente a parte de cima lhe trará apenas os sabores do vinho. Por isso, dê um grande gole e desfrute o máximo desta combinação. Se você preferir bater o vinho junto com o whiskey e o gelo, aí terá um New Yorker!

VAMOS À RECEITINHA

 Ingredientes:

60 ml de bourbon whiskey
30 ml de suco de limão siciliano
15 ml de xarope de açúcar (esse xarope meu irmão aprendeu a fazer com um barman, é super simples: só ferver um pouquinho de água com açúcar até dissolver. Ele usa muito em margaritas. Fica 10, pois quebra o azedo do limão). 
2 dashes de Angostura (Angostura é uma bebida amarga, aromática que é usada no preparo de coquetéis clássicos e em algumas receitas de cozinha, Vende aqui ).
15 ml de vinho tinto (para o float)

Modo de Fazer:

Bata vigorosamente os ingrediente com gelo e coe para um copo on the rocks (próprio para Whiskey) com gelo novo. Flutue o vinho e enfeite, se quiser, com uma casca de laranja.


Fico muito feliz em ajudar a resgatar os velhos clássicos da mixologia vinífera. Essa receita, em especial, é magnífica. Difícil ver alguém que não sorria logo no primeiro grande gole. Com gelo, então, vai super bem no verão e, nos dias de hoje, é superchique e diferente.

Que tal experimentar nesse fim de semana? Marque sua foto com a hashtag #vilavinifera que republicamos no nosso Instagram! É um drink lindo de viver! Apesar de não ser fã de whiskey, sou apaixonada por essa combinação.

Bom fim de semana! Bons Vinhos! Ótimos drinks! Tim-Tim!

Referência: Imbibe Magazine, Mixology News 

 

 

 

Nesse Fim de Ano, Liberte o Bartender Que Existe em Você

Amigos, o fim do ano já está aí. Nossa, como passou rápido! E quando se trata de Festa da Empresa, Natal e Reveillon, a gente tem mais é que comemorar mesmo. Com muito vinho e espumante, óbvio!

Acabo de me lembrar de um passado distante, quando no último dia de trabalho antes das férias coletivas eu fazia questão de comprar uma meia-garrafa de espumante para bebericar na barca, a caminho de casa. Era o meu rito de passagem particular…rsrsrs…

1c8c3b9080532f196e41ede4b0a52ce5

O tempo passa, mas algumas tradições permanecem intactas. Logo, o que eu mais bebo no fim do ano, sem dúvida, são os nossos amados espumantes. E no verão as borbulhas devem ser consumidas sempre, independente se existe ou não uma ocasião especial. 

AGORA VOCÊ É O BARTENDER: SURPREENDA SEUS CONVIDADOS 

Com inspiração nas festinhas de fim de ano, hoje eu vou ensinar o passo-a-passo de tudo o que você vai precisar para criar sua própria champanheria e impressionar suas visitas.

ESPUMANTE 

Esse é o ingrediente básico. Acho bacana variar os estilos, pois nem todos são amantes do Brut. Sendo assim, procure incluir exemplares doces, demi-sec e extra-brut. Se a grana estiver curta, opte por rótulos nacionais. A maioria está dando banho nos importados. Divida as despesas entre os amigos e sejam felizes!

 MISTURADORES

Deixe a sua champanheria com pinta de profissional e invista em sucos e purês de frutas para incrementar seus drinks com espumantes. E para criar receitas como Beliini, Rossini,  Arise My Love e Kir Royal, é essencial ter misturadores sempre à mão.

FRUTAS FRESCAS

Adoro quando encontro frutas embebidas em álcool no final do meu drink. Por isso, antes de tudo, garanta morangos, kiwi, pêssego, laranja etc; tudo fresquinho para deixar as bebidas ainda mais atraentes. Mantenha, ainda, um estoque de frutas congeladas que fazem as vezes de cubos de gelo. Agradável, frutado e não deixa o espumante aguado.

ERVAS 

Em certas misturas, um toque vegetal sempre cai bem. Por isso, invista em ervas frescas, que darão aroma e complexidade às suas criações. Eu gosto muito de usar hortelã, alecrim e manjericão. Nunca experimentei com espumantes, mas nas caipirinhas eu te garanto que fica divino.

RODELAS DE LIMÃO E LARANJA

Quer adicionar um pouco de acidez às suas criações? Então, corte rodelas de limão tahiti, siciliano e laranja e decore as bordas das taças. Fica lindo, sutil e muito, muito charmoso!

APEROL

O Aperol é um aperitivo, uma espécie de “Campari Italiano” que caiu nas graças dos brasileiros amantes de espumantes. Com ele, é possível criar drinks como o famoso “Spritz”, cuja receitinha você confere a seguir:

aperol

A melhor maneira de preparar o drink é seguindo três passos:

1) Coloque 3 partes do seu espumante favorito, cerca de 60 ml no copo com gelo;

2) Acrescente 2 partes de Aperol, cerca de 40 ml;
3) Complete com 1 parte de água com gás e finalize com uma fatia de laranja para decorar.

Quem me conhece sabe que eu adoro brincar de Bartender. E o bom dos drinks com espumantes é que são bem fáceis de fazer. Não é necessário prática, muito menos habilidade. Sem falar que o resultado fica maravilhoso. Todos amam!

Além disso, hoje é sexta, um ótimo dia para praticar!

CONFIRA AQUI 5 WINE DRINKS PARA PREPARAR EM CASA 

Bom fim de semana! Bons drinks! Tim-Tim!

Imagens: Vine Pair, Aperol (divulgação)