Vinho e os Espíritos

Contos e crônicas Sommelier André Ribeiro

Vinho e os Espíritos

Essa história que vou relatar me deixou muito impressionado na época. Nos meados de 2011, me apareceu uma figura muito peculiar solicitando atendimento. Ele trajava vestes típicas de homem do campo, pele morena queimada de sol, chapéu na cabeça, me cumprimentou com certo sotaque, sem me tocar, apenas tirando o chapéu, e disse: onde fica los vinos chilenos?

Pude identificar que ele era chileno, então indiquei: estão nessas duas prateleiras. Ele olhou e disse: gostaria de um cabernet sauvignon reserva. Tens algo com bom custo? Na hora, me lembrei de um vinho que havíamos arrematado todo o estoque, porque era um vinho fora da média pela qualidade espetacular e ótimo preço – um cabernet safra 2009, sedoso com aromas de cassis e coco, e no fundo toques de violeta. Encantador, super elegante e alegre ao paladar, vivo, fresco envolvente e marcante.

Quando mostrei o vinho pra ele, percebi que ficou assustado e disse Cantaluna? Respondi que sim: o nome é esquisito mas o vinho é muito bom.
– Você sabe o que significa? Perguntou. Eu disse que não, e então, ele me contou que Cantaluna é o espírito que protege os Andes das pessoas que destroem e maltratam a natureza. Esses espíritos confundem os caçadores e fazem com que se percam e à noite, somente na lua minguante, eles conseguem se materializar e atacam as suas vítimas como se fossem justiceiros da natureza, afundando os seus crânios e sugando os seus miolos.

– Eu mesmo presenciei… Quando pequeno, eu e meu pai achamos um corpo de um caçador às margens de um Rio sazonal, produzido pelo degelo dos Andes. O corpo tinha todas as características de ter sido atacado por Cantaluna, essa imagem nunca mais saiu da minha cabeça e, quando a nossa tribo encontrava um corpo na lua minguante de um lenhador, caçador e garimpeiros clandestinos, eu escutava o grito de todos em atitude de espanto “Cantaluna Cantaluna Cantaluna…”

O velho índio, sem levar nada, me cumprimentou sem me tocar, apenas tirou o chapéu e disse gracias amigo. Nunca mais voltei a vê-lo. Já o vinho, acabei com estoque em duas semanas contando a lenda que havia recebido pelo estranho visitante. Às vezes, me questiono se ele existia mesmo pois o fato foi muito estranho, essa lembrança ficou escondida na minha memória e me arrependo amargamente de não tê-la acrescentada ao ebook Curiosidades e os 05 Sentidos do Vinho.

Só me lembrei dela ao despertar na manhã do feriado do dia 02 de novembro – dia de finados.

Obs: se estiver no Chile, evite sair em noite de lua minguante! Agora nas outras luas não tenha medo, pois ele fica inofensivo.

André Ribeiro.
#pordentrodovinho

Interessados em importar o vinho: www.cantaluna.cl

Anúncios