Winestyle: 8 Acessórios Para Curtir Um Bom Vinho

Fato que os apaixonados por vinho não se limitam apenas a apreciar o néctar dos deuses. Sim, nós ficamos ligados em tudo o que diz respeito ao nosso objeto de desejo. E, desta forma, os acessórios viníferos, como costumo chamar, são a cereja do bolo.

Confesso que sou fã dos apetrechos e volta e meia me surpreendo com a criatividade dos fabricantes. Afinal, é muita praticidade junta. Assim fica fácil curtir o nosso vinhozinho em sua maior forma. Olha só:

1- JARRA DUPLO CORPO: Além de linda, é perfeita para deixar o vinho branco sempre geladinho. Basta colocar gelo no cilindro e correr para o abraço. Vale lembrar que o suporte é lacrado, impedindo que o gelo entre em contato com o líquido. Uma maravilha!

cdb3ca7c84cf836960205c819d8b32a2

2- LIVRO GUARDA-VINHO: É sempre bom ter uma “garrafa na manga” para salvar aquela ocasião especial. Mas se você é do tipo que não pode ter um vinhaço à vista que acaba tentado em abri-lo, invista nesse acessório, que nada mais é do que um livro com fundo falso sob medida para armazenar uma ou mais garrafas de vinho longe de olhos gulosos.

livro_vinho

Lembre-se de posicionar o livro na horizontal e, caso o mesmo esteja numa estante junto de outros exemplares, é bem capaz de que até você se esqueça de sua existência.

3- VIN VALISE: Para os viajantes trazerem seus amados vinhos intactos, eis uma solução discreta, prática e bonita. Essa mala armazena até 11 garrafas. Protege do impacto e ainda é superestilosa. Você encontra essa belezinha à venda no site VIN GARDE VALISE. Algumas vêm, inclusive, com espaço para acoplar taças.  Um sonho de consumo para qualquer enófilo!

mala_banner

4- CESTA PORTÁTIL REMOVÍVEL: Essa é ideal para piqueniques e churrascos ao ar livre. Em casa, é uma adega que cabe perfeitamente em qualquer cantinho. Já nos passeios, se torna uma espécie de bolsa perfeita para levar as suas amadas garrafas ao destino certo.

dc735dfdeec690fba33f7b502878219f

5 – Agora, para aqueles que desejam levar só uma garrafinha, seja para um encontro romântico, para curtir com um amigo ou sozinho, nada mais charmoso que essa bolsinha. Amei481dc44300fac620a0eebb9a8b3a4dfd

6 – Ah, e se você planeja chegar ao encontro de bicicleta, saca só esse suporte lindo de viver. Garrafa segura e bike estilosa 🙂

2f17f218ebf93b14e40ef7e4569b6dd4

7 – SUPORTE PARA TAÇAS E GARRAFAS: um jeito simples de ter um bom vinho sempre à mão e pronto para ser aberto a qualquer momento. Sem falar que trata-se de um objeto de decoração charmoso de tudo.

8832350S

8 – SERVIÇO DE VINHOS PORTÁTIL: Esse suporte em formato de garrafa contém saca-rolhas, corta-gotas, entre outros apetrechos indispensáveis para apreciar um bom vinho. É superfácil de encontrar! Hoje em dia, em qualquer lojinha de presentes a gente dá de cara com um desse, em diversos tamanhos e estilos.

winebottlekit


Espero que tenham gostado desse artigo. Eu amei!  Se pudesse levava todos para casa. São acessórios muito úteis para os apreciadores de vinhos. Porém, para gente “normal”, podem parecer bobagem e perda de tempo (rs). Ainda bem que não é o nosso caso.

Como boa winelover, estou sempre à caça de tudo o que estiver relacionado aos meus amados vinhos. Se for um produto inusitado, então, é postagem na certa!

Até a próxima! Bons Vinhos! Boas Compras! Tim-Tim!

Anúncios

8 Modelos de Saca-Rolhas Indicados Inclusive Para Iniciantes

Enoamigos, não há nada mais prático para qualquer amante dos vinhos do que ter um excelente saca-rolhas sempre a mão. E, acreditem, muitas vezes encontrar o seu queridinho não é tarefa fácil. Sem falar que nem todos os rótulos são ideais para cada tipo de saca-rolhas.

Por exemplo, vinhos de guarda, há tempos armazenados, devem ter suas rolhas retiradas de forma delicada e, portanto, precisam de um acessório que trabalhe com eficácia. Ou seja, trata-se de um acessório simples, mas, ao mesmo tempo muito útil e que atende a diversas necessidades.

Mas aí, você, leitor do Vila, deve estar se perguntando, “Mas esse já é o segundo artigo sobre saca-rolhas”.. Sim, é isso mesmo! Às vezes o novo conteúdo vale a pena uma nova postagem, mais objetiva. Então, bora descobrir quais são os modelos mais descolados e indicados por sommeliers de todo o mundo? Prepare-se:

1- SACA-ROLHAS DE DOIS ESTÁGIOS

Esse modelo é o mais utilizado por profissionais, sendo que a sua praticidade, precisão e facilidade de manuseio também encanta os enófilos mais experientes. Mas, no geral, é o preferido dos iniciados.

el-sacacorchos-de-dos-tiempos

Características: como o próprio nome sugere, 2 estágios são o suficiente para abrir a garrafa lindamente! É rápido e muito tranquilo. Na minha opinião, apesar da aparência intimidadora, é o modelo mais fácil de ser manuseado. De tamanho pequeno, conta, ainda, com um pequeno cortador de cápsulas. Perfeito para levar na bolsa!

Pontos Fortes: Uso simples e preciso.

Pontos Fracos:  Para os iniciantes, seu uso pode parecer complicado. Mas, não desista! Insista! Com o tempo, você perceber o quanto é fácil (foi assim comigo!).


2- SACA-ROLHAS DE ABAS

O modelo de abas é o mais comum em nossas casas. Provavelmente você deve ter conseguido sacar sua primeira rolha com um desse. Seu uso é muito difundido entre os inciantes.

el-sacacorchos-de-alas

Características: Seu design permite abrir uma garrafa sem força e muito menos habilidade. Por seu tamanho, ocupa muito mais espaço que um saca-rolhas de dois estágios.

Pontos Fortes: Por ser menos intimidador, é o mais usado pelos amadores.

Pontos Fracos: Além de ocupar mais espaço, pelo menos comigo, não era nada prático. Eu acaba quebrando quase todas as rolhas que eu sacava. Ou seja, nem sempre o que parece mais fácil é o melhor.


3- SACA-ROLHAS EM FORMA DE “T”

Esse é o preferido dos mais conservadores, sobretudo aqueles que esbanjam força e habilidade. Meu pai usou muito até que eu o ensinei a manusear o de dois estágios. Hoje em dia ele não quer outra vida.

el-sacacorchos-forma-de-t

É para quem ainda não se rendeu ao computador e insiste na antiga máquina de escrever. 

Características: O saca-rolhas em forma de T é o de design mais simples por sua vez o menos prático para o propósito. O arranque não tem qualquer ponto de apoio na cortiça, que deve ser retirada à mão livre, no “muque” mesmo. De carona na onda dos tradicionalistas, os fabricantes estão dando ares modernos aos saca-rolhas em formato de T, com desenhos inusitados e muito lindos.

Pontos Fortes: Hoje em dia há muitos saca-rolhas desse tipo com design muito atraentes. São verdadeiros objetos de decoração.

Pontos Fracos: Sua utilização é complicada e requer muita força e habilidade.


4- SACA-ROLHAS DE ROSCA

Apesar de não ser tão conhecido, esse saca-rolhas é ideal para os iniciantes, sobretudo aqueles que não se adaptaram a nenhum dos modelos listados acima.

el-sacacorchos-de-rosca

Características: Seu uso é muito simples, uma vez que devemos girar apenas a peça superior através da rolha para que essa seja retirada por completo. Esse modelo ocupa tanto espaço quanto o de abas e ainda custa muito mais caro.

Pontos Fortes: Seu uso é muito simples e prático.

Pontos Fracos: Ocupa muito espaço. Preço elevado.


5- SACA-ROLHAS DE LÂMINA

Esse é perfeito para os apreciadores dos vinhos de guarda, visto que permite puxar a rolha sem danificá-la.

el-sacacorchos-de-laminas1

Características: Esse modelo é o mais complexo de todos e requer muita habilidade. Se usa introduzindo as lâminas entre a rolha e o gargalo da garrafa. A cortiça sai intacta, sem nenhum buraco sequer. É lindo de ver! Geralmente é utilizado em garrafas com rolhas de cortiça desgastadas pelo tempo e que devem ser removidas com toda a delicadeza, com o intuito de preservar o vinho.

Pontos Fortes: Nos permite extrair a rolha de garrafas de vinhos de guarda sem danificá-las, de forma supercorreta.

Pontos Fracos: Exige muita habilidade e prática. Pode provocar uma certa tensão no momento de remover a cortiça. Por isso, requer segurança e auto-confiança.


6- SACA-ROLHAS ELÉTRICO

Esse é para aqueles enófilos que querem abrir suas garrafas sem complicações. Só na praticidade.

el-sacacorchos-electrico

Características: Esse modelo não necessita prática e muito menos habilidade, justamente por ser elétrico. Basta acoplá-lo no gargalo da garrafa e apertar um botão. A rolha sai rapidinho.

Pontos Fortes: É muito, muito fácil de usar!

Pontos Fracos: Além de ser muito pouco portátil, você vai precisar de pilha (ou pilhas) para fazê-lo funcionar.


7- SACA-ROLHAS LEVER

O Lever também é um dos queridinhos dos iniciantes, sobretudo por sua facilidade de manuseio.

el-sacacorchos-de-palanca

Características: É necessário acoplá-lo em torno do gargalo e empurrar a alavanca para baixo, a fim de introduzi-lo até que a cortiça seja removida. É muito útil para quem está começando, porém, leva um pouco de tempo até que a gente se familiarize com ele.

Pontos Fortes: Uso fácil e preciso.

Pontos Fracos: A partir do momento em que a gente vai se acostumando, o tamanho passa a incomodar um pouquinho. Sem falar que, assim como o elétrico, também não é nada portátil.


8 – SACA-ROLHAS DE AR COMPRIMIDO

Mais um exemplar facílimo de operar. Perfeito para iniciantes!

el-sacacorchos-de-aire-comprimido

Características: O saca-rolhas de ar comprimido é o menos comum de se ver por aí. O mecanismo consiste em injetar uma agulha através da cortiça e bombear ar até que a rolha saia da garrafa. Esse método não é muito utilizado, visto que a injeção de ar pode remover os sedimentos e/ou alterar o vinho.

Pontos Fortes: É muito rápido e fácil! Qualquer um aprende a utilizar.

Pontos Fracos: Os sedimentos podem ser remexidos, alternando as características do vinho.


Então é isso, viníferos! Em se tratando de saca-rolhas, há modelos para todos os gostos e bolsos. Ou seja, zero razões para deixar os nossos amados vinhos aprisionados nas garrafas, certo? Vamos libertá-los!

Boa semana! Ótimos Vinhos! Tim-Tim!

6 Maneiras de Abrir uma Garrafa de Vinho Sem o Uso do Saca-rolhas

É isso aí! 2017 já chegou com tudo! Como sabemos, geralmente os primeiros meses do ano são de celebração e as festividades costumam ir até o carnaval. Logo, é sempre bom ficar por dentro dos macetes capazes de facilitar a nossa vida no mundo do vinho.

Entre os acessórios mais amados pelos enófilos de plantão, o saca-rolhas reina absoluto! Afinal, é ele quem liberta os nossos amados vinhos de suas garrafas (para a nossa alegria!). Eu mesma ando com o meu sempre na bolsa (Ser pega desprevenida? Nunca!). E se você não tem um exemplar screw-cap à mão, na hora do sufoco vale tudo. O que não vale é deixar de desfrutar do nosso amado néctar dos deuses. 

10-maneiras-nao-convencionais-abrir-garrafa-vinho-ideia-quente

VOCÊ QUER DEGUSTAR UM BOM VINHO E NÃO TEM SACA-ROLHAS: O QUE FAZER?

Antes de tudo, vale destacar que essas dicas não são 100% infalíveis. Na verdade, elas podem até danificar sua garrafa caso você não as coloque em prática de forma incorreta ou sem lançar mão dos cuidados necessários.

Entre os riscos, está o de inundar o líquido com fragmentos de cortiça e, até mesmo, o de quebrar sua tão desejada garrafa. Assim, se você tem um rótulo raro e/ou caro, deixe a vontade de lado e espere para abri-la com um saca-rolhas adequado (em alguns casos, é necessário utilizar um no estilo pinça). Ou seja, se você é um colecionador de vinhos e tem amor às suas garrafas, por favor, não se arrisque desta forma. Porém, esse  não é o caso da maioria das pessoas, que viajou de férias e esqueceu o saca-rolhas em casa, por exemplo. 

Nessas horas, as técnicas a seguir podem ajudá-lo (e muito) a sair do desespero e ter uma noite de vinho das mais memoráveis.

1- UTILIZE UM PARAFUSO (QUANTO MAIS LONGO MELHOR), UMA CHAVE DE FENDA E UM MARTELO

Esse é provavelmente um dos métodos mais seguros nesta lista, mas requer certa força e resistência, visto que podemos nos cansar facilmente.

  • Pegue o parafuso (de preferência bem longo) e comece a parafuseá-lo na cortiça com uma chave de fenda até que atinja mais ou menos uma polegada de distância de sua extremidade. A seguir, utilize a parte traseira do martelo, prendendo-a ao parafuso e, depois, puxe a cortiça para fora da garrafa. Nesse caso você estará improvisando um saca-rolhas no formato T, aquele tradicional. Simples assim. 

2- EMPURRE A CORTIÇA COM O PUNHO DE UMA COLHER DE PAU OU QUALQUER OUTRO OBJETO SIMILAR DE MESMO TAMANHO

3- BOMBEIE A ROLHA PARA FORA

  • Esse é relativamente simples. Você  vai precisar de uma bomba de bicicleta com agulha anexa. Insira a agulha na cortiça até que a mesma ultrapasse toda a rolha e atinja o ar entre a cortiça e o vinho. Em seguida, bombeie o ar para dentro da garrafa. Conforme você bombeia, a rolha vai saindo da garrafa, em virtude da pressão exercida pelo ar. 

4- UTILIZE UMA CHAVE OU FACA DE SERRA

  • Essa opção é bastante semelhante a de número 1, em que você usa um parafuso e um martelo para sacar a rolha. Desta vez, no entanto, você precisará usar apenas uma chave, uma faca serrilhada ou algo que funcione da mesma forma. Introduza o objeto na cortiça num ângulo de 45º e gire a extremidade do mesmo em círculos, torcendo a rolha lentamente para fora.

saca-rolhas

  • Após algumas rotações, a rolha deverá sair. Certifique-se de que o objeto foi realmente introduzido na cortiça, pois caso contrário a mesma poderá se fragmentar, o que será, por si só, um tremendo desastre. Se isso acontecer, recorra à solução apontada pelo item 2 (coar e decantar o vinho). 

5- ENVOLVA A GARRAFA COM UMA TOALHA E EMPURRE A MESMA CONTRA UMA PAREDE

  • Chegamos a um ponto da lista em que as coisas ficam mais perigosas. Então, prossiga com cautela. As opções anteriores exigiam o uso de pelo menos uma ferramenta. Porém, se você estiver numa situação em que quase todos os recursos são escassos (numa casa de campo ou praia sem muita estrutura, por exemplo), essa técnica pode ajudar muito.
  • Basta enrolar o fundo da garrafa de vinho numa toalha grossa (ou em duas, para ficar ainda mais seguro) e bata-o contra uma parede repetidas vezes. Agora, há o risco da sua garrafa quebrar. Por isso, só lance mão desta técnica em último caso. Fato: você não vai conseguir sacar a rolha logo na primeira vez em que bater com o fundo da garrafa contra a parede. Logo, sugerimos que você não use sua força total, preocupando-se apenas em bater repetidas vez, sem tanta intensidade, movendo a rolha lentamente para fora da garrafa. 

6- UTILIZE UM SAPATO

  • Essa técnica é semelhante a da toalha, porém, um pouco menos arriscada. Aquim você também deverá envolver o fundo da garrafa com uma toalha. Só que, ao invés de bater com o mesmo contra a parede, você prenderá a garrafa entre as pernas e irá bater com um sapato repetidas vezes no fundo do recipiente. Isso pode levar muuuito tempo, mas é bem mais seguro que o item de número 5. Lembre-se de parar de bater antes que a rolha saia completamente, a fim de evitar outro desastre: vinho desperdiçado e manchas no tapete. 

Entre as opções disponíveis, está a de usar um maçarico na boca da garrafa o que, sinceramente, apesar de funcionar, é SUPERPERIGOSA, pois a garrafa pode EXPLODIR, literalmente. Há tantas dicas bacanas e o sujeito vai usar justo essa? Melhor evitar um acidente em plenas férias, não é mesmo?

Amigos, espero que essas dicas possam salvá-los num momento de dificuldade. Estar com uma boa garrafa em mãos sem um aparato decente para abri-la é mesmo complicado. Só quem já sentiu na pele sabe como é…rs.

Então é isso, pessoal! Bom verão! Ótimos vinhos! Férias Inesquecíveis! Tim-Tim!

Descubra o Vinfusion, Uma Geringonça Que Te Ajuda a Criar Um Vinho Personalizado

Que vinho é questão de gosto pessoal, todo mundo já sabe. Eu mesma volta e meia falo sobre isso por aqui. Afinal, se todos somos únicos e diferentes uns dos outros, por que a nossa bebida favorita não poderia ser feita especialmente para a gente?

download-1

E foi exatamente nisso que a empresa Cambridge Consultants se inspirou para criar o Vinfusion, o sistema que te permite criar um vinho que atenda  às suas preferências. E por que não, brincar um pouquinho de enólogo?

COMO FUNCIONA?

O sistema Vinfusion é conhecido como “uma experiência de vinho de mistura, através da qual o consumidor pode ajustar a composição da bebida de acordo com a demanda”. Trata-se de um geringonça revolucionária, que promete entregar “centenas de sabores diferentes”. Então, amigo, chegou a hora de parar de reclamar daquele tinto muito tânico ou do branquinho com aroma exagerado de “mato molhado” e colocar a mão na massa. Como? A gente te explica aqui.

cc_vinfusion_1-640x0

“O ato de combinar vinhos para alcançar um certo sabor ou aroma tem sido empregado ao longo dos séculos e esse é o principal objetivo do Vinfusion”, disse Sajith Wilamaratne, gerente comercial de bebida e comida da Cambridge Consultants. Ainda de acordo com o executivo, um dos desafios do sistema é a compreensão da complexa relação entre o sabor e a proporção dos vinhos durante essa espécie de “assemblage” no melhor estilo “faça você mesmo”.

COMO FOI CRIADO?

Para criar a geringonça, os profissionais realizaram diversos testes que incluíam examinar a forma com que os consumidores escolhiam seus vinhos, bem como provas gustativas, a fim de observar como os bebedores percebiam e descreviam os sabores.

Ao analisar a composição química de diversos vinhos diferentes e eleger quais os componentes mais importantes para o sabor global, os consultores da Cambridge determinaram que havia quatro vinhos de base sobre os quais você pode iniciar a sua própria mistura.

3a09cd6500000578-3903070-vinfusion_lets_users_craft_their_wine_using_terms_like_fiery_or_-m-59_1478206317474

Logo, com o Vinfusion é possível criar vinhos personalizados, introduzindo preferências como “leve ou encorpado”, “seco ou doce”. E com a ajuda de um aplicativo, os entusiastas do vinho poderão não apenas personalizar seu néctar como poderão, ao mesmo tempo, aprender sobre a química por trás da sua mistura perfeita.


Basicamente, amigos, é lançar mão da tecnologia para extrair o que há de melhor dos nossos rótulos favoritos. Ou seja, “não é feitiçaria…”. Agora, se a geringonça vai se popularizar, só o tempo dirá. Imagino que o Vinfusion deva chegar ao Brasil com preços astronômicos, ainda mais em tempos de recessão econômica e dólar nas alturas.

Porém, esse artigo me fez pensar em como estará o cenário do vinho daqui a uns 20 anos. Será que cada um de nós terá sua própria maquininha para fazer vinho em casa, de acordo com as nossas preferências? Como as empresas vinícolas irão administrar isso? É algo a se pensar… E você, amigo? Acha que isso é possível?

Apesar de adorar essas novidades, confesso que sou um pouco tradicional nesse sentido. Gosto de conhecer diversos estilos de produto, comparar… Mas, como falamos no início dessa postagem, vinho é questão de gosto pessoal.

E já que sextou, bora decidir sobre qual será o meu estilo de vinho para hoje à noite. Sem geringonça, só com a minha querida adega ao lado.

Boa sexta! Bons Vinhos! Tim-Tim!

Referência: Digital Trends

Decifrando a Roda de Aromas do Vinho

Galera de enofilia, hoje vou falar sobre um assunto capaz de gerar dúvidas em inciantes e iniciados. Trata-se da famosa “Roda de Aromas do Vinho”. Quando e como usá-la? Ela realmente ajuda na aprendizagem?

roda-dos-aromas

A Roda de Aromas pode sim, ser uma grande companheira durando o processo de exercício da memória olfativa, sobretudo quando esta ainda está se desenvolvendo. Para um principiante ou até mesmo um expert em vinhos ela é essencial, na medida que nos ajuda a usar o nariz para decifrar as nuances de uma bebida tão complexa.

OBJETIVIDADE NA DESCRIÇÃO DE AROMAS

Constantemente utilizada durante as degustações, a “roda” reúne uma lista de conceitos que representam aromas perceptíveis em um vinho. Com ela podemos promover jogos entre amigos ou simplesmente desafiar a nós mesmos neste sentido tão rico, que é o olfato.

Mas o grande objetivo desse instrumento é o de poder analisar claramente um vinho, sem se ocupar com ideias muito subjetivas, como “elegante”, “intenso”, entre outros. Esta objetividade se dá porque esses aromas possuem referências naturais, reconhecidas pela maioria das pessoas.

DESCRIÇÕES CONTIDAS NA “RODA” 

As terminologias descritivas da Roda de Aromas se dividem em três níveis hierárquicos, desde os mais genéricos (frutado, floral…), passando por um nível intermediário (ex: dentro dos frutados, há frutas tropicais, vermelhas, frutas secas etc.) até os conceitos mais específicos (ex: dentro de frutas cítricas, encontramos limão e laranja). 

rodadosaromasdovinho

Podemos classificar os aromas do vinho segundo sua origem, dividindo-os em 4 grandes grupos:

  • Aromas Varietais: compostos químicos aromáticos próprios da casta da uva. Dependem das características do terroir, como solo e clima, para a sua expressão.
  • Aromas Pré-Fermentativos: compostos aromáticos gerados desde o momento da colheita da uva até aquele anterior à sua fermentação alcoólica.
  • Aromas Pós-Fermentativos e de Guarda: são gerados durante o processo de amadurecimento e envelhecimento dos vinhos já dentro das barricas ou nas garrafas.

A Roda de Aromas é, ainda, estruturada em categorias identificadas por cores, afim de proporcionar um maior conforto visual. Cada uma delas se divide em subcategorias, com o intuito de que possamos encontrar a nuance olfativa correta da forma mais precisa possível.

images-2

Atualmente existem inúmeros formatos de Rodas de Aromas, classificados por cores, tamanhos, tipos de vinhos, castas de uvas etc. No mínimo interessante e curioso, não é mesmo? Longe de ser uma expert em identificar odores, creio que esse instrumento auxilia demais a decifrar as nuances de um vinho, nos permitindo captar o máximo de prazer e satisfação na nossa bebida favorita.


Então é isso, enomigos! Vinho é mesmo aprendizado constante. Por isso, desconfio de quem diz que sabe tudo sobre a bebida dos deuses. Afinal, o mais legal é descobrir algo novo a cada dia.

Até a próxima! Bons Vinhos! Tim-Tim!

 

7 Adegas Simples, Estilosas e Funcionais

No mundo dos vinhos, muitas vezes, menos é mais. Por isso, muitos enófilos têm deixado de lado os modelos climatizados e adotado adegas tradicionais que, de tão estilosas, já se tornaram verdadeiros objetos de decoração. 

Eu mesma tenho um desses exemplares high tech e confesso que fiquei de queixo caído com as fotos que vocês verão a seguir. E, sim, teria uma belezinha dessas em casa facilmente…

weinregal_winelet_bigblock_doppelt
Sou apaixonada por essa adega de pallets. Simples e linda!
VINCENT__42_
Ter seus vinhos sempre à mão é ótimo!
industrial-wine-rack-storage
Essa cabe em qualquer cantinho e a praticidade é garantida!
dioniso2
Beleza e sofisticação, com suporte para taças.
DSC08840a
Puro estilo!
1
Os vinhos parecem flutuar. Quase uma vitrine de loja. Linda!
001
Essa é linda, mas é a menos funcional de todas. Algumas garrafas ficam de pé e, nesse caso, não aconselho para tintos de guarda. Apenas para espumantes ou aquela garrafa de tinto ou branco jovem que você não vê a hora de abrir.

Espero que tenham curtido! Eu, particularmente, acho que design e vinho se atraem…. afinal, é cada coisa linda com que me deparo por aí que me dá logo vontade de ter aqui em casa. Mas, enquanto as dimensões do meu Ap ainda não permitem, fico só admirando e babando..rs.rs.rs..

Referência: The Big Wine Theory

3 Coisas Que Você Precisa Saber Antes de Adquirir Uma Adega Climatizada

Com o crescente interesse pelo mundo do vinho, vejo um número cada vez maior de apreciadores em busca de sua primeira adega climatizada. 

Existem infinidades de modelos de adegas, tanto que fica até difícil escolher o exemplar ideal para abrigar nossas preciosas garrafas. Por isso, antes de adquirir uma delas, é comum levarmos em conta apenas o design do produto, deixando de lado 3 aspectos superimportantes, que listaremos a seguir:

1) Quantidade de Vinhos Para Guardar

Logo de cara, é importante definir o tamanho da adega. Sem falar que ainda temos que analisar a vida útil que lhe daremos, ou seja, se desejamos um exemplar que dure “para sempre” ou  apenas  por alguns poucos anos, a fim de logo substituí-lo por um maior. 

Quanto ao tamanho, há opções para todos os gostos, desde adegas pequenas, para 6, 12 garrafas, até armários enormes, com capacidade para mais de 350 rótulos.

21976
Adega Climatizada Para 12 Garrafas
33731
Adega Climatizada Para 350 Garrafas

2) Diferentes Temperaturas

O segundo passo é decidir que tipos de vinhos pretendemos armazenar. Afinal, é esse fator que determinará a temperatura ideal da adega.

wine-archive-1326591-639x426

Atualmente, a maioria dos exemplares se divide por zonas de temperatura, haja vista que a ideal para um vinho tinto é totalmente diferente daquela apropriada para um branco ou espumante, por exemplo. Logo, se eu só pretendo guardar rótulos tintos, para que vou comprar uma adega com 3 zonas de temperatura? 

3) Onde Você Pretende Colocar a Sua Adega?

Outra coisa é que precisamos ter, pelo menos, uma ideia do cômodo ou lugar onde a adega ficará. Vale refletir, ainda, se você pretende colocá-la no chão, encostada na parede ou em cima de um móvel e se este será capaz de suportar seu peso, a fim de que não ocorra uma catástrofe.

Além disso, a orientação de abertura da porta não deve ser descartada. Se você deseja mudar o lado de abertura, é bom checar se isso é possível de ser feito previamente, junto a fábrica.  Por último, vale se certificar se a adega será destinada apenas para armazenar seus vinhos ou se você pretende usá-la como um móvel complementar. Há modelos muito bacanas que fazem às vezes de aparador e podem perfeitamente abrigar porta-retratos, TV etc. 

29223

Aqui em casa eu tenho o meu “cantinho do vinho”, onde estão minha cristaleira com as taças, a adega (23 garrafas) e os livros sobre o assunto. Fica na sala, na área de jantar, próxima à mesa. E você? Tem um espaço próprio para degustar seus rótulos? Pensa em montar um? Eu superapoio! 

Referência: The Big Wine Theory