Pow Boteco Espumante: Cheffs e Pequenos Produtores Brilham em Jantar Harmonizado

LAPA, RIO DE JANEIRO – No último dia 23, o Pow Boteco Espumante, reduto carioca dos amantes do vinho, realizou seu primeiro jantar harmonizado. Esse primeiro evento contou com a parceria entre três supercheffs, Duda Ribeiro (Pow), Paulo Araújo (Nori) e Thiago Faro (Confeitaria Colombo). Outro destaque ficou por conta dos ingredientes dos pratos, oriundos de pequenos produtores.

PROJETO TERCEIRA TERÇA

O nome do projeto é “Terceira Terça”, visto que o mesmo acontecerá toda terceira terça do mês no Pow, sempre com a participação de profissionais diferentes e ótimos vinhos (claro!). Desta vez, os fermentados ficaram a cargo de Cattacini Gelli, enólogo superconhecido no meio do vinho, cujos rótulos combinaram perfeitamente com a entrada e o prato principal (a sobremesa, por sua vez, foi harmonizada com o espumante brut Rosé com rótulo do Pow, elaborado pela Vinícola Pizzato).

WhatsApp Image 2018-02-02 at 18.12.54 (1)

Uma das coisas que eu adoro no Pow é o ambiente intimista e descontraído, bem carioca, do tipo que a gente chega e logo se sente em casa. O evento começou com um bate-papo informal com os produtores, entre eles Rancho Grande (Queijo de Cabra, de Nova Friburgo) e Cattacini Gelli. O enólogo falou sobre os vinhos que seriam servidos, entre eles um varietal 100% Trebbiano Romagnolo. “A produção é realizada em parceria com diversas vinícolas da região sul do Brasil”, explicou Cattacini.

whatsapp-image-2018-02-02-at-18-54-29.jpeg
Cattacini fala sobre seus vinhos.

Já Edinaldo Vasconcellos e Patrícia Tiedemann, da Caprill Rancho Grande, contaram que a produção de leite e queijo de cabra entrou na vida deles de forma totalmente inesperada, tudo por causa de uma das filhas, que era alérgica ao leite de vaca. A partir daí, a solução se transformou num negócio de muito sucesso. “Fornecemos nossos produtos para diversos restaurantes, inclusive do Rio de Janeiro”, disse Vasconcellos.

WhatsApp Image 2018-02-02 at 18.12.54 (3)
Uau! Belinni para começar.

Enquanto o papo rolava solto, o querido cheff Duda Ribeiro chegava com nosso drink de boas-vindas, um belíssimo Belinni, elaborado com espumante Pow Brut e Suco de Pêssego, acompanhado por brioches de cogumelos paris e coxinhas de frango com brie e chutney de manga, tudo delicioso!

JANTAR HARMONIZADÍSSIMO!

Enfim, começou o jantar, que nos brindou com vieiras grelhadas (produzidas pela Fazenda Vieiras da Ilha, de Ilha Grande (RJ)), com espuma de wasabi, purê de couve-flor e crispy de beterraba. O vinho foi o Clos Cattacini Trebbiano Romagnolo 2014, um branco cheio de personalidade e frescor, que combinou muito com o prato, de autoria do Cheff Paulo Araújo, do Restaurante Japonês Nori.

WhatsApp Image 2018-02-02 at 18.12.55 (6)
Vieiras de Entrada – Cheff Paulo Araújo (Nori)

Já o prato principal chegou com Paletas de Cordeiro do Sítio do Bicho Sem Vergonha, de Itamonte (MG), laqueadas com mel e acompanhadas de brioches de cogumelo e caviar de beringela defumada, de autoria de Duda Ribeiro, Cheff executivo do Pow. O Cattacini Barbera 2014 (10 meses em carvalho francês) foi simplesmente perfeito, teve uma ótima sinergia com o cordeiro.

WhatsApp Image 2018-02-02 at 18.12.55 (5)
Paletas de Cordeiro – Cheff Duda Ribeiro (Pow)

O gran finale ficou por conta da sobremesa. E que sobremesa! Juro que eu e mais da metade dos presentes estávamos um pouco apreensivos com o queijo de cabra num doce. Mas, gente! O Cheff Thiago Faro, da tradicional Confeitaria Colombo, fez uma cheesecake de comer rezando, com queijo de cabra da Capril Rancho Grande, de Mury, Nova Friburgo (RJ), no sabre de gergelim torrado, coulis de abóbora e coco.

WhatsApp Image 2018-02-02 at 18.12.53
Cheesecake de Queijo de Cabra – Cheff Thiago Faro (Confeitaria Colombo)

E esse verdadeiro manjar dos deuses supercombinou com o Espumante Pow Brut Rosé (Pizzato), fechando o nosso jantar com chave-de-ouro.

GRAND FINALE

O final foi muito bacana, com direito a discursos de agradecimento dos cheffs e produtores, assim como de Edu Santoro, do Pow, que nos brindou com o emocionante ritual de Sabrage. Confesso que nunca tinha visto ao vivo e fiquei encantada! E, aguardem, enoamigos, pois o calendário de eventos do Pow para 2018 está só começando. Vem muita coisa boa e novidades por aí!

O projeto “Terceira Terça”, sem dúvida, chegou para nos mostrar toda a diversidade brasileira, tanto nos vinhos quanto na gastronomia. Então é isso, pessoal! Ótimos Vinhos! Tim-Tim e até a próxima.

Dirceu Scottá Fala Sobre Dal Pizzol e os Desafios do Vinho Brasileiro

Na última quarta-feira, 10/05, estive no Pow Boteco Espumante, comandado pelo amigo Luiz Fernando Macedo, para a palestra do Dirceu Scottá, Presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e enólogo da Vinícola Dal Pizzol, tradicionalíssima e localizada na Rota das Cantinas Histórias no Distrito de Faria Lemos, no Rio Grande do Sul.

WhatsApp Image 2017-05-10 at 21.04.59
Com Dirceu Scottá e os amigos Beatriz Machado, Luiz Fernando Macedo e Fábio Cunha

POW BOTECO ESPUMANTE 

Para começar, fiquei totalmente encantada pelo Pow. Localizado na Lapa (Rua do Senado, 41), o lugar é puro deleite para os amantes do espumante nacional. Sim, pois a casa dispõe de uma carta maravilhosa, munida com os melhores rótulos do nosso terroir, incluindo belezinhas das vinícolas Pizzato (que assina o delicioso espumante com a marca da casa), Miolo, Hermann, Dal Pizzol, Geisse, entre outras. Logo que cheguei, encontrei dois amigos, o Fábio Cunha, do curso de Wine and Business da FGV, além da bela e simpática Beatriz Machado, da Wine and Travel Enoturismo.

WhatsApp Image 2017-05-12 at 08.43.15

Além de ter a missão de divulgar e fomentar o espumante brasileiro, o Pow ainda conta com uma extensa programação que inclui música ao vivo, palestras, mini-weddings (para quem deseja celebrar o casamento só com os íntimos), karaokê e happy hour. Tudo para reunir a galera apaixonada por borbulhas! Sem falar que a casa está com altos projetos, entre eles, a Academia Brasileira do Espumante, além de outros cursos de especialização em Vinhos, Azeites, Queijos, Chocolates… ou seja, de tudo o que há de melhor no mundo da enogastronomia.

O Luiz Fernando apresentou, ainda, o renomado Duda Ribeiro, Chef que promete agitar ainda mais a cozinha do Pow com delícias sob medida para acompanhar a temática efervescente do local. 

DIRCEU SCOTTÁ E OS ESPUMANTES DAL PIZZOL

Enfim, fomos conduzidos ao segundo andar da casa, onde Dirceu Scottá nos aguardava para falar sobre a Vinícola Dal Pizzol, da qual é nada mais nada menos que enólogo-chefe. Scottá começou abrindo nossos horizontes sobre a história da vitivinicultura no Brasil, que começou em 1878 com os imigrantes italianos, entre eles a Família Dal Pizzol que, inicialmente, fazia parte de uma cooperativa, até plantar suas primeiras videiras em 1940. E, em 1978, centenário da vinícola, foi lançado o famoso Cabernet Franc “Do Lugar” até hoje um dos seus maiores bestsellers.

WhatsApp Image 2017-05-12 at 08.45.37

DEGUSTAÇÃO DE ESPUMANTES 

Em seguida, iniciou-se a degustação dos belos espumantes Dal Pizzol, por ordem de peso (do rótulo mais leve até o mais substancial). Começamos com o Brut Charmat (60% Chardonnay e 40% Pinot Noir). Com aromas cítricos e nuances de mel e abacaxi, é uma mistura de várias safras.

Aliás, nessa hora o Scottá nos explicou que uma das lutas da Ibravin é a de que espumantes que contenham pelo menos 85% de uvas da mesma safra sejam rotulados com o ano da colheita, ocorrendo, assim, uma maior padronização. Esse Brut possui 12g/l de açúcar, estando bem de acordo com o paladar do brasileiro, que em sua maioria prefere exemplares com um pouco mais de açúcar residual.

WhatsApp Image 2017-05-12 at 08.45.06

Já o Rosé Charmat (60% Pinot Noir e 40% Chardonnay) possui seu vinho base macerado com as cascas, retirando o máximo de coloração da Pinot. E que cor! O rosé possui uma tonalidade casca de cebola intensa que eu amo em vinhos desse estilo. A garrafa é transparente. Então, amigos, vocês já podem imaginar o quanto fica bonito!

Trata-se de um rótulo muito agradável, com notas de frutas vermelhas, flores e um toque cítrico. Apesar do preconceito com os vinhos rosés ter sido discutido nesse momento, por experiência própria, sinto que isso tem mudado. Afinal, um dos artigos mais acessados daqui do blog é o 5 Pratos Para Acompanhar Um Vinho Rosé. Sucesso absoluto!

Então, chegamos na parte que eu mais gosto: a dos espumantes elaborados pelo método tradicional champenoise, extremamente gastronômicos!

O Brut Tradicional fica 18 meses em contato com as leveduras na garrafa e a segunda fermentação leva em torno de 30 dias para acontecer. Nele, encontramos nuances totalmente diferentes, como torrefação, amêndoas e frutas mais complexas, em virtude do contato com as leveduras. Ah, e aquele cheirinho de pão saído do forno que os amantes do espumante conhecem bem. 

Além disso, esse Brut já é mais seco que o Charmat, visto que contém apenas 7g/l de açúcar. Por isso, deixa a boca mais enxuta, com mais estrutura e um belo final.

COMPLEXO ENOTURÍSTICO DAL PIZZOL

Antes de nos apresentar o gran finale, Scottá falou sobre o Ecomuseu da Cultura do Vinho, localizado numa área de 8 hectares em meio à vinícola. Nele, é possível conhecer arados e utensílios utilizados pelos imigrantes italianos, além de um espaço sob medida para a diversão da garotada.

amp_dalpizzol_ecomuseu-07
Ecomuseu da Cultura do Vinho

CONCEITOS DA VINÍCOLA

Aliás, vale lembrar que a Dal Pizzol conta com vinhos 100% varietais, com exceção dos espumantes, produzidos em pequenos lotes, a fim de preservar o máximo de sua qualidade. A vinícola acredita ainda na não-intervenção do carvalho, produzindo caldos modernos, com total expressão da fruta, alinhando-se ainda mais com o estilo dos Vinhos do Novo Mundo e a tendência mundial de exemplares mais frutados e com menos madeira.

Segundo Scottá, outro projeto da Ibravin é o de tornar obrigatório na rotulagem se o vinho foi adicionado de carvalho (com o uso de chips, dominós etc.) ou envelhecido em barris de carvalho. Tais informações atualmente são praticamente inexistentes nos rótulos, confundindo totalmente os consumidores. 

O GRAN FINALE: DAL PIZZOL NATURE 40 ANOS 

Para fechar as degustações com chave de ouro, nos foi servido o Dal Pizzol Nature, parte integrante das 3 mil garrafas produzidas para a comemoração dos 40 anos da vinícola. Sem dúvida, foi um dos pontos altos da noite.

O Nature (60% Pinot Noir e 30% Chardonnay) chegou carregado de um nariz imponente, com notas de pão, pêssegos maduros, avelãs e amêndoas. Possui estrutura marcante, elegância e finesse e pode continuar evoluindo perfeitamente na garrafa.

WhatsApp Image 2017-05-12 at 08.40.32

Segundo Dirceu Scottá, esse champenoise harmoniza totalmente com a nossa brasileira feijoada. Confesso que quando ele falou isso combinei os aromas na minha cabeça e logo me deu água na boca. Sem falar que a garrafa é linda de viver. Uma verdadeira joia! Possui apenas 1,5g/l de açúcar, no estilo dos melhores champanhes do mundo.

Scottá falou, ainda, sobre outros desafios do vinho nacional, sobretudo com relação à vontade política, praticamente inexistente, de transformar o nosso vinho em alimento, difundindo sua cultura por aqui e fomentando, assim, o mercado interno.

A própria logística entre os estados (para transporte das garrafas) já se mostra como um obstáculo, sem falar na falta de incentivos e tributação altíssima, que encarece os nossos vinhos frente aos rótulos de outros países. 


Então é isso, enoamigos, foi uma honra estar presente nesse encontro e aprender um pouco mais sobre os vinhos da nossa terra com uma das grandes figuras do cenário vitivinícola brasileiro.

18341731_10211995765707354_5214562199703640297_n

Parabéns ao Luiz Fernando Macedo e toda a equipe do Pow Boteco Espumante por difundir a cultura do vinho nacional e organizar uma noite, sem dúvida, memorável.

Até a próxima! Ótimos vinhos! Tim-Tim!