Vinho & Saúde: Por que o Vinho Pode Ser Considerado um Alimento?

Logo de cara podemos dizer que um alimento é qualquer substância, comida ou bebida, que contribua para a nutrição dos seres vivos. Não só para fins nutricionais, como também sociais e psicológicos.

food_wine_2

O alimento é NUTRICIONAL porque fornece matéria e energia para o anabolismo e a manutenção das funções fisiológicas. SOCIAL, porque favorece a comunicação e o estabelecimento de laços afetivos, bem como as conexões sociais e culturais. E PSICOLÓGICO, porque melhora a saúde emocional, proporcionando alegria e satisfação.

Tendo em vista essa definição, não há dúvidas de que o VINHO É UM ALIMENTO, pois, se por um lado, contém macronutrientes (carboidratos e algumas proteínas), que fornecem energia, por outro dispõe de micronutrientes, como sais minerais, oligoelementos e até vitaminas. Isso porque eu ainda nem mencionei o fato de que o nosso néctar fomenta a comunicação, conexões, enfim, junta as pessoas! Ah, e ainda oferece prazer e satisfação. Ou seja, se existe um produto que atende totalmente a definição de alimento, esse com certeza é o VINHO!

BAIXO TEOR DE PROTEÍNAS

As proteínas geralmente são escassas o vinho (em torno de 1 a 2g por litro). Esse baixo teor no vinho, ao contrário do suco de uva, deve-se ao seu processo de produção. Ou seja, se tomarmos por base que a quentidade de proteína reocmendada é de 1g por quilo de peso corporal, chegamos a conclusão de que o vinho não pode ser considerado uma grande fonte de proteínas.

food-2359699_960_720

SEM ADIÇÃO DE AÇÚCAR

Quanto aos carboidratos, estes podem ser encontrados em proporções variáveis, dependendo da forma com que o vinho é elaborado. Durante a fermentação alcoólica, a maior parte dos açúcares do mosto (suco da uva) é transformada em álcool, graças à ação das leveduras. No vinho tinto, os açúcares residuais, como glicose e frutose, representam apenas de 2 a 3 gramas por litro. Já no vinho branco, essa porcentagem pode ser maior.

Além dos citados acima, o vinho também pode conter outros açúcares, como aqueles naturais do álcool. Em todo caso, com exceção de vinhos doces (com açúcar residual), os de sobremesa e fortificados, a maioria dos presentes no mercado atual é de vinhos secos, com baixo teor de açúcar, sendo que, após a fermentação, este nunca é adicionado a esse tipo de bebida.

0% DE GORDURA

Lipídios (gorduras) são compostos químicos formados, principalmente, por misturas orgânicas de ácidos graxos. O vinho não contém lipídios e é essencial que essa susbtância não chegue nem perto da bebida dos deuses, afinal, certamente isso traria um gosto desagradável. O único risco é que as sementes de uvas, quando esmagadas, podem liberar uma espécie de óleo. Por isso, em algumas ocasiões, é possível visualizar algo gorduroso nas paredes da taça depois que se bebe o vinho, mas é raro, bem raro! Ou seja, em geral, o nosso néctar é 0% gordura.

ÁLCOOL E SAIS MINERAIS

O álcool é outra substância que, óbviamente, aparece no vinho. No entanto, é importante notar que o teor alcoólico de um vinho é determinado pela quantidade de açúcar das uvas durante a colheita. No vinho, o % de álcool indica a proporção deste na garrafa. Por exemplo, 14% contém 105ml de álcool por garrafa de 750ml ou cerca de 140ml por litro. O vinho contém, sobretudo, álcool etílico, mas também podemos encontrar outros tipos de álcool, como Glicerina, Metano, Eritritol, entre outros poli-álcoois.

grapes-510425_960_720

Com relação aos sais minerais, vale lembrar que o vinho contém de 2 a 4 gramas de sal por litro. Os minerais que podemos encontrar no vinho são: potássio, sódio, cálcio, cloro, enxofre, flúor, silício, iodo, bromo e boro. Alguns desses elementos são muito raros em alimentos mais comuns de serem consumidos.

O vinho possui, ainda, alguns elementos nutricionais ou oligoelementos, como ferro, cobre, zinco e manganês. Alguns vinhos são bem ricos em ferro, facilitando a boa absorção intestinal. Por outro lado,  o vinho pode conter elementos indesejáveis, como alumínio, chumbo e até mesmo arsênico, embora em proporções praticamente insignificantes.

No vinho também encontramos muitas VITAMINAS, como a B12, B6 e B2, porém, em baixas proporções. O fermentado não contém Vitamina C, apesar desta estar presente naturalmente nas uvas.

OS MARAVILHOSOS POLIFENÓIS

Um dos aspectos que mais é ressaltado nos vinhos fica por conta da quantidade de polifenóis. Isso porque estes são ótimos aliados para a saúde. Se por um lado o vinho branco possui apenas algumas miligramas, por outro, o vinho tinto contém de 1 a 3 gramas por litro de polifenóis que estão, a princípio, concentrados nas cascas, sementes e engaços das uvas.

glass-2731939_960_720

E por que se fala tanto em polifenóis? Essas substâncias são famosas por transformarem o vinho num poderoso aliado na prevenção cardiovascular. Entre os fenóis, distinguimos ácidos fenpolicos ou ácido fenólico, flavonóides (ou fator de vitamina P), antocianos, fleuma, taninos, quinonas e resveratrol.

No vinho  encontramos, ainda, ácidos minerais como tartárico, malico e salicílico, entre outros. Todos eles contribuem para tornar o vinho um líquido alcoólico acídico, cujo Ph está entre 2 e 3, ou seja, uma acidez próxima a do estômago. Desta forma, a bebida facilita a digestão de proteínas alimentares. Logo, a recomendação de se consuir o vinho durante as refeições não vem por acaso e também tem uma razão sob o ponto de vista químico-nutricional.


Depois de tudo isso, é impossível encarar o vinho apenas como bebida alcoólica. Não, não é! O vinho é SIM, um alimento que, se consumido com equilíbrio, faz muito bem paea a saúde. Por essas e outras que tantos países incentivam a produção e o consumo do vinho (infelizmente não é o caso do Brasil, mas isso já é história para outro post).

Então é isso, enoamigos! Uma semana repleta de ótimos vinhos para vocês. Até a próxima! Tim-Tim!

Referência: Vinetur

Vinho & Saúde: Quem Bebe Vinho Durante as Refeições é Mais Feliz e Adoece Menos

Hoje cheguei com mais ótimas notícias relacionadas ao nosso amado néctar de Baco!

Segundo recente pesquisa, o hábito mediterrâneo de desfrutar de uma taça de vinho  durante as refeições pode ser a chave para uma vida saudável e feliz.

 

De acordo com o estudo, as pessoas que consomem um terço de uma garrafa de vinho ou até duas taças de vinho em cada refeição adoecem menos, além de possuírem uma visão mais otimista da vida.

O VINHO EVITA A COMPULSÃO E TRAZ FELICIDADE

E os benefícios não param por aí. Pesquisadores das universidades finlandesas de Tampere e Helsinki constataram que essas pessoas tendem, ainda, a serem menos propensas a beber compulsivamente, ao ponto embriargar-se. Ou seja, o estudo determina que tal grupo não deve ser incluído no de “risco de vício”, mas sim, exatamente  o oposto, no de “consumidores equilibrados”.

people-2587156_640

 

Os cientistas estudaram os hábitos de aproximadamente 2.600 consumidores de bebidas alcoólicas entre 18 e 69 anos, por meio de questionários que avaliaram sua autoestima e saúde física e mental, tendo constatado que 12% das pessoas que bebem vinho regularmente tiveram maior pontuação nos três quesitos, mesmo levando em conta fatores como trabalho, educação e estado civil.

CONSUMA VINHO DURANTE AS REFEIÇÕES

Os pesquisadores constataram, ainda, a importância, tanto do momento de consumo quanto do tipo de bebida alcoólica consumida. Ou seja, aqueles que não consumiram vinho no almoço não tiveram os mesmos benefícios para a saúde e o bem-estar daqueles que o fizeram.

person-2248567_640

Outro fator relevante é que 25% dos que misturavam o consumo de vinho e cerveja nas refeições eram alcoólatras, ao passo que aqueles que bebiam apenas vinho,  sempre acompanhado de alimentos, representavam apenas 8% em relação ao risco de alcoolismo. 

BEBA SEMPRE COM EQUILÍBRIO

Então, enoamigos, essa é, sem dúvida, outra prova de que o consumo moderado de vinho não representa nenhum risco para a saúde da maioria das pessoas, muito pelo contrário: produz uma série de benefícios. Sim, e volta e meia descubro um diferente. Afinal, são centenas de estudos que atestam a veracidade disso (sem exageros!). Porém, em todos eles, o padrão-chave passa pela moderação. Logo, só quem consome, de preferência 1 taça por dia durante uma das refeições pode usufruir de todos esses benefícios a longo prazo.

Enfim, o vinho faz bem para a pele, para a mente e o coração. 🙂

Até a próxima! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

 

*Referência: The Big Wine Theory

 

 

 

 

Descobrimos Mais 5 Benefícios do Vinho Para a Saúde

Enfim, cheguei com mais um artigo da série “Vinho & Saúde”. Prepare-se, pois hoje você vai descobrir outros benefícios desta, que é uma das bebidas mais saudáveis do planeta.

1- MELHORA A VIDA SEXUAL: Estudos publicados em janeiro de 2016 no “The American Journal of Clinical Nutrition” provaram que uma taça de vinho diariamente pode melhorar a vida sexual dos homens, reduzindo o risco de disfunção erétil.

8538709738_0e2f5bb2ab_z
Créditos: Posted By Uncalno Tekno on Flickr

2- AJUDA A REDUZIR O RISCO DE DIABETES: Em 2015, pesquisas do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da França constataram que o vinho pode ajudar a prevenir o diabetes tipo 2 em mulheres com sobrepeso. Os cientistas consultaram mais de 60 mil voluntárias que consomem de meia a uma taça de vinho por dia. Todas demonstraram leve redução do fator diabetes, tudo isso graças à presença de antioxidantes associada aos benefícios cardiovasculares do vinho. O estudo foi divulgado na edição impressa de janeiro de 2015, na Revista Wine.

Caught :( - 326/365

3- PREVINE RESFRIADOS: Em tempos de instabilidade climática, mais uma boa notícia: aqueles que bebem vinho tinto regularmente raramente ficam resfriados. O responsável é o Resveratrol, um polifenol encontrado na casca das uvas que, associado à vitamina D, auxilia na imunidade. O estudo,  publicado no Jornal de Epidemiologia, analisou mais de quatro mil pessoas em universidades espanholas, que fizerem um diário sobre seus hábitos alimentares, e estilo de vida durante um ano. Segundo os resultados, pessoas que bebem até duas taças de vinho por dia, têm 40% menos chances de pegar um resfriado.

chess-1163624_1280

4 – AUXILIA NA MEMÓRIA: Testes de laboratório realizados na Universidade de Leeds, no Reino Unido, constataram que aqueles que consomem uma taça de vinho tinto por dia são mais inteligentes, uma vez que a bebida contribui para a memória, auxiliando a reduzir riscos de demências, como o Alzheimer, devido à ação neuroportetora dos polifenois, que ajudam a prevenir o envelhecimento cerebral.

wine-1212317_1280

5 – CONTRIBUI PARA A REDUÇÃO DO CÁLCULO RENAL: Pesquisas realizadas pela Universidade de East Anglia mostram que o consumo de vinho reduz em 60% o risco de formação de cálculos renais por estimular a diurese. De acordo com o cientista Andrew Hart, esse estudo pode indicar como as pedras nos rins se formam e dar aos médicos e pacientes uma opção alternativa para o tratamento da doença. “Ainda não está claro como o consumo moderado de álcool pode ajudar na prevenção de cálculos, mas podemos estabelecer a seguinte relação: para cada taça de vinho consumida por dia, a possibilidade de desenvolver a doença cai um terço”, disse Hart.

CONSUMO EQUILIBRADO

Depois de tantas descobertas, dá até mais vontade de degustar aquela tacinha todos os dias, não é mesmo? Porém, como eu sempre digo, equilíbrio é fundamental! Todos esses benefícios só são possíveis através do consumo moderado de vinho tinto.

A cada dia os benefícios do nosso néctar me surpreendem. E não tem nada a ver com moda ou indústria. São todos constatados através de estudos de algumas das universidades mais conceituadas do mundo.

Então, na hora de brindar, pode dizer SAÚDE, porque é isso mesmo! Bons vinhos!

Tim-Tim!

Vinho É Saúde

É fato que o hábito de beber no máximo 3 taças de vinho ao dia, durante as principais refeições, contribui para um estilo de vida mais saudável. E isso não é só marketing de enófilo. Pesquisas e estudos sérios comprovam que o vinho deve ser considerado um alimento, devido a todos os benefícios que proporciona.

heart-176879_640
Vinho faz bem para a alma e o coração 

 

Em 1991, o programa 60 minutes, da TV americana CBS, exibiu um estudo médico que atestava que o povo francês, apesar de adepto de uma dieta altamente calórica e repleta de manteiga, molhos e queijos gordurosos, apresentava baixos índice de doenças cardiovasculares. Como isso? O francês, há séculos, incorporou o vinho à mesa, tornando este um verdadeiro hábito nacional. Nem é preciso mencionar que o referido estudo fez o maior sucesso, mesmo que não represente uma unanimidade entre os pesquisadores.

Grande parte dos benefícios estão relacionados ao vinho tinto, devido ao seu alto índice de flavonoides e antioxidantes. O resultado é um aumento do bom colesterol (HDL) e diminuição do ruim (LDL), bem como a redução da pressão arterial, ação antidepressiva, relaxante, diurética e preventiva contra várias doenças.

No entanto, apesar de tantas maravilhas, vale lembrar que o consumo excessivo de álcool é nocivo. Por isso que no início do post falamos que o vinho só é eficaz quando incorporamos 1 taça em cada uma das principais refeições diárias. Sendo assim, é só felicidade!