Vinho & Saúde: Por que o Vinho Pode Ser Considerado um Alimento?

Logo de cara podemos dizer que um alimento é qualquer substância, comida ou bebida, que contribua para a nutrição dos seres vivos. Não só para fins nutricionais, como também sociais e psicológicos.

food_wine_2

O alimento é NUTRICIONAL porque fornece matéria e energia para o anabolismo e a manutenção das funções fisiológicas. SOCIAL, porque favorece a comunicação e o estabelecimento de laços afetivos, bem como as conexões sociais e culturais. E PSICOLÓGICO, porque melhora a saúde emocional, proporcionando alegria e satisfação.

Tendo em vista essa definição, não há dúvidas de que o VINHO É UM ALIMENTO, pois, se por um lado, contém macronutrientes (carboidratos e algumas proteínas), que fornecem energia, por outro dispõe de micronutrientes, como sais minerais, oligoelementos e até vitaminas. Isso porque eu ainda nem mencionei o fato de que o nosso néctar fomenta a comunicação, conexões, enfim, junta as pessoas! Ah, e ainda oferece prazer e satisfação. Ou seja, se existe um produto que atende totalmente a definição de alimento, esse com certeza é o VINHO!

BAIXO TEOR DE PROTEÍNAS

As proteínas geralmente são escassas o vinho (em torno de 1 a 2g por litro). Esse baixo teor no vinho, ao contrário do suco de uva, deve-se ao seu processo de produção. Ou seja, se tomarmos por base que a quentidade de proteína reocmendada é de 1g por quilo de peso corporal, chegamos a conclusão de que o vinho não pode ser considerado uma grande fonte de proteínas.

food-2359699_960_720

SEM ADIÇÃO DE AÇÚCAR

Quanto aos carboidratos, estes podem ser encontrados em proporções variáveis, dependendo da forma com que o vinho é elaborado. Durante a fermentação alcoólica, a maior parte dos açúcares do mosto (suco da uva) é transformada em álcool, graças à ação das leveduras. No vinho tinto, os açúcares residuais, como glicose e frutose, representam apenas de 2 a 3 gramas por litro. Já no vinho branco, essa porcentagem pode ser maior.

Além dos citados acima, o vinho também pode conter outros açúcares, como aqueles naturais do álcool. Em todo caso, com exceção de vinhos doces (com açúcar residual), os de sobremesa e fortificados, a maioria dos presentes no mercado atual é de vinhos secos, com baixo teor de açúcar, sendo que, após a fermentação, este nunca é adicionado a esse tipo de bebida.

0% DE GORDURA

Lipídios (gorduras) são compostos químicos formados, principalmente, por misturas orgânicas de ácidos graxos. O vinho não contém lipídios e é essencial que essa susbtância não chegue nem perto da bebida dos deuses, afinal, certamente isso traria um gosto desagradável. O único risco é que as sementes de uvas, quando esmagadas, podem liberar uma espécie de óleo. Por isso, em algumas ocasiões, é possível visualizar algo gorduroso nas paredes da taça depois que se bebe o vinho, mas é raro, bem raro! Ou seja, em geral, o nosso néctar é 0% gordura.

ÁLCOOL E SAIS MINERAIS

O álcool é outra substância que, óbviamente, aparece no vinho. No entanto, é importante notar que o teor alcoólico de um vinho é determinado pela quantidade de açúcar das uvas durante a colheita. No vinho, o % de álcool indica a proporção deste na garrafa. Por exemplo, 14% contém 105ml de álcool por garrafa de 750ml ou cerca de 140ml por litro. O vinho contém, sobretudo, álcool etílico, mas também podemos encontrar outros tipos de álcool, como Glicerina, Metano, Eritritol, entre outros poli-álcoois.

grapes-510425_960_720

Com relação aos sais minerais, vale lembrar que o vinho contém de 2 a 4 gramas de sal por litro. Os minerais que podemos encontrar no vinho são: potássio, sódio, cálcio, cloro, enxofre, flúor, silício, iodo, bromo e boro. Alguns desses elementos são muito raros em alimentos mais comuns de serem consumidos.

O vinho possui, ainda, alguns elementos nutricionais ou oligoelementos, como ferro, cobre, zinco e manganês. Alguns vinhos são bem ricos em ferro, facilitando a boa absorção intestinal. Por outro lado,  o vinho pode conter elementos indesejáveis, como alumínio, chumbo e até mesmo arsênico, embora em proporções praticamente insignificantes.

No vinho também encontramos muitas VITAMINAS, como a B12, B6 e B2, porém, em baixas proporções. O fermentado não contém Vitamina C, apesar desta estar presente naturalmente nas uvas.

OS MARAVILHOSOS POLIFENÓIS

Um dos aspectos que mais é ressaltado nos vinhos fica por conta da quantidade de polifenóis. Isso porque estes são ótimos aliados para a saúde. Se por um lado o vinho branco possui apenas algumas miligramas, por outro, o vinho tinto contém de 1 a 3 gramas por litro de polifenóis que estão, a princípio, concentrados nas cascas, sementes e engaços das uvas.

glass-2731939_960_720

E por que se fala tanto em polifenóis? Essas substâncias são famosas por transformarem o vinho num poderoso aliado na prevenção cardiovascular. Entre os fenóis, distinguimos ácidos fenpolicos ou ácido fenólico, flavonóides (ou fator de vitamina P), antocianos, fleuma, taninos, quinonas e resveratrol.

No vinho  encontramos, ainda, ácidos minerais como tartárico, malico e salicílico, entre outros. Todos eles contribuem para tornar o vinho um líquido alcoólico acídico, cujo Ph está entre 2 e 3, ou seja, uma acidez próxima a do estômago. Desta forma, a bebida facilita a digestão de proteínas alimentares. Logo, a recomendação de se consuir o vinho durante as refeições não vem por acaso e também tem uma razão sob o ponto de vista químico-nutricional.


Depois de tudo isso, é impossível encarar o vinho apenas como bebida alcoólica. Não, não é! O vinho é SIM, um alimento que, se consumido com equilíbrio, faz muito bem paea a saúde. Por essas e outras que tantos países incentivam a produção e o consumo do vinho (infelizmente não é o caso do Brasil, mas isso já é história para outro post).

Então é isso, enoamigos! Uma semana repleta de ótimos vinhos para vocês. Até a próxima! Tim-Tim!

Referência: Vinetur

Vinho & Saúde: Quem Bebe Vinho Durante as Refeições é Mais Feliz e Adoece Menos

Hoje cheguei com mais ótimas notícias relacionadas ao nosso amado néctar de Baco!

Segundo recente pesquisa, o hábito mediterrâneo de desfrutar de uma taça de vinho  durante as refeições pode ser a chave para uma vida saudável e feliz.

 

De acordo com o estudo, as pessoas que consomem um terço de uma garrafa de vinho ou até duas taças de vinho em cada refeição adoecem menos, além de possuírem uma visão mais otimista da vida.

O VINHO EVITA A COMPULSÃO E TRAZ FELICIDADE

E os benefícios não param por aí. Pesquisadores das universidades finlandesas de Tampere e Helsinki constataram que essas pessoas tendem, ainda, a serem menos propensas a beber compulsivamente, ao ponto embriargar-se. Ou seja, o estudo determina que tal grupo não deve ser incluído no de “risco de vício”, mas sim, exatamente  o oposto, no de “consumidores equilibrados”.

people-2587156_640

 

Os cientistas estudaram os hábitos de aproximadamente 2.600 consumidores de bebidas alcoólicas entre 18 e 69 anos, por meio de questionários que avaliaram sua autoestima e saúde física e mental, tendo constatado que 12% das pessoas que bebem vinho regularmente tiveram maior pontuação nos três quesitos, mesmo levando em conta fatores como trabalho, educação e estado civil.

CONSUMA VINHO DURANTE AS REFEIÇÕES

Os pesquisadores constataram, ainda, a importância, tanto do momento de consumo quanto do tipo de bebida alcoólica consumida. Ou seja, aqueles que não consumiram vinho no almoço não tiveram os mesmos benefícios para a saúde e o bem-estar daqueles que o fizeram.

person-2248567_640

Outro fator relevante é que 25% dos que misturavam o consumo de vinho e cerveja nas refeições eram alcoólatras, ao passo que aqueles que bebiam apenas vinho,  sempre acompanhado de alimentos, representavam apenas 8% em relação ao risco de alcoolismo. 

BEBA SEMPRE COM EQUILÍBRIO

Então, enoamigos, essa é, sem dúvida, outra prova de que o consumo moderado de vinho não representa nenhum risco para a saúde da maioria das pessoas, muito pelo contrário: produz uma série de benefícios. Sim, e volta e meia descubro um diferente. Afinal, são centenas de estudos que atestam a veracidade disso (sem exageros!). Porém, em todos eles, o padrão-chave passa pela moderação. Logo, só quem consome, de preferência 1 taça por dia durante uma das refeições pode usufruir de todos esses benefícios a longo prazo.

Enfim, o vinho faz bem para a pele, para a mente e o coração. 🙂

Até a próxima! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

 

*Referência: The Big Wine Theory

 

 

 

 

5 Super Benefícios do Vinho Para a Saúde

Nossa série sobre Vinho & Saúde só tem confirmado que a bebida é uma das mais saudáveis do mundo! Por isso, não canso de aconselhar o consumo de 1 taça de tinto todos os dias, de preferência junto das refeições. E, além de todos os benefícios listados nos posts anteriores, hoje trouxe alguns que eu nem sequer imaginava que existissem. Quer saber quais são? Então, vamos lá!

wine-690299_640

1- ESTIMULA O CÉREBRO

Segundo estudo publicado no The Journal of Neuroscience, o consumo equilibrado de vinho tinto previne demências e doenças cerebrais degenerativas. A bebida também possui ação anti-inflamatória, evita o endurecimento das artérias e inibe a coagulação, favorecendo, com isso, o fluxo de sangue no organismo. 

2- PROTEGE OS DENTES E AS GENGIVAS

Se você tem problemas periodônticos, como por exemplo o sangramento das gengivas, experimente beber uma taça de tinto diariamente durante as refeições. Segundo estudo publicado no Journal of Agricultural anda Food Chemistry, existem componentes nas uvas que, ao serem fermentados em vinho, podem evitar o surgimento dos estreptococos e bactérias responsáveis pelas cáries. Nosso néctar também atua contra a gengivite e dores de garganta.  O tempo virou e essa semana estou com a garganta bem irritada. Quero testar isso já! Me aguardem…

smile-191626_640

3 – COMBATE A FADIGA

Quer ter mais disposição para as tarefas do cotidiano? Então, da-lhe tacinha de vinho todos os dias! O estudo, veiculado no The FASEB Journal  afirma que o resveratrol presente nas uvas tintas nos dá um levante naqueles dias em que estamos sem ânimo e para baixo. Que tal experimentar?

4 – AUMENTA AS ENDORFINAS

De acordo com um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, o vinho, quando consumido com equilíbrio e moderação, ajuda a liberar endorfinas no nosso organismo, ocasionando um maior relaxamento e bem-estar. Para potencializar essa sensação maravilhosa, invista na harmonização entre vinhos e pratos culinários. O prazer de tanto sabor com certeza irá tocar a sua alma e deixar o seu astral lá em cima.

5- LIMPA O PALADAR 

Os taninos do vinho tinto são capazes de potencializar o sabor dos alimentos. Tudo graças à adstringência desses componentes, que também reduzem os reflexos das nuances gordurosas nas papilas gustativas.  Por isso, após o consumo de carnes, um bom vinho tinto nos dá aquela sensação de limpeza na boca. Bom demais!

13335982_500608173465542_9058319484010125007_n

Amigos enófilos, podem ter certeza: cada benefício dessa bebida maravilhosa será transformado em post à medida que forem surgindo nas minhas pesquisas. Afinal, se consumido com sabedoria e equilíbrio, o vinho é pura qualidade de vida dentro da sua taça.

Vinho e Saúde: Faz Bem Ao Coração

Sabemos que desfrutar do néctar dos deuses em quantidades diárias moderadas faz um enorme bem para a saúde, sob diversos apectos.  Sendo assim, com o intuito de divulgar todos os benefícios que a bebida de Baco proporciona, hoje inauguramos a série “Vinho e Saúde”.

heart-176879_640

VINHO FAZ BEM AO CORAÇÃO

Sem dúvida, entre os “milagres” atribuídos ao vinho está a prevenção de doenças cardiovasculares. Suas substâncias, entre elas o resveratrol (encontrado somente nos tintos), têm o poder de reduzir os problemas do coração em até 50%, segundo estudo do Hospital Corporativo de Epidemiologias da Dinamarca.

Além disso, contribuem para a diminuição do mau colesterol e aumento do colesterol saudável. Por ser anticoagulante e antioxidante, o vinho também aumenta a formação do óxido nítrico, importante para a dilatação dos vasos coronarianos.

HIPERTENSÃO

Nosso néctar de Baco ainda ajuda a evitar a hipertensão. Estudo inédito realizado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), com ratos hipertensos, constatou que aqueles que receberam um extrato de vinho (sem álcool e água) tiveram queda na pressão arterial em até 30%. O experimento foi feito com a uva Cabernet Sauvignon.

12862967455_b93527d76c

BEBA COM EQUILÍBRIO

Então, se você estava na dúvida se isso tudo era verdade mesmo ou apenas lorota para vender vinhos, saiba que esses fatos foram comprovados e continuam sendo estudados por instituições sérias. Porém, é importante ressaltar que os benefícios ocorrem em virtude do consumo MODERADO de vinho. Ou seja, 2 taças de 120ml por dia, durante as principais refeições.

Vinho é Saúde! Aguardem, pois em breve falaremos de outros “milagres” atribuídos à nossa bebida favorita. Boa semana! Bons Vinhos! Tim-Tim!

 

r