O Vinho Encantado!!

Contos & crônicas do Sommelier André Ribeiro episódio de hoje:

O Vinho Encantado!!

Ribeiro era um sommelier super prestativo e dedicado, adorava o que fazia e era muito popular nas redes sociais pelas suas belas postagens, de modo simples, mas super educativo. Ele era um assíduo degustador de vinhos; muitas vezes escondia algumas economias para poder comprar os vinhos que desejava.

Asim, estava determinado a provar o vinho dos seu sonhos que custava R$ 3.500! Dividiu o valor por 12, então, tinha que guardar R$ 291,66 por mês. Com muito sacrifício, Ribeiro guardou todas as caixinhas que recebia dos clientes. Ele guardava em segredo, porque nem sua esposa poderia saber pois ela não aprovaria tal gasto.

Com muita dificuldade, ele comprou o vinho para tomar no Natal: era um Vega Sicília safra 2000, a safra da virada do milênio. O vinho passa pelo envelhecimento mais longo do mundo de um tinto, quase 10 anos entre a madeira e a garrafa. Os diversos estágios ocorrem em diferentes tipos de barril: madeira americana e francesa, barricas novas e usadas de 225 litros, cubas de 20.000 litros, cada lote é que determina o tipo de madeira e o tempo gasto em cada recipiente.

Após o estágio na madeira, o vinho é envelhecido na garrafa para terminar um processo longo e complexo. Ele normalmente fica seis anos em madeira e três na garrafa.
Ribeiro trabalhou ansioso dezembro inteiro… o mês do Natal para um Sommelier de loja e de restaurante é super puxado, sendo um mês com muitas festas, confraternizações em que se consome quatro vezes mais vinho e, geralmente, as pessoas compram vinhos de melhor qualidade até porque estão com mais dinheiro, devido ao recebimento do 13 e também presenteiam muito com vinho, aliás, tem presente melhor?!

Na noite de Natal, Ribeiro abriu uns vinhos para os seus convidados, bebeu pouco, ceiaram e todos se foram… então Ribeiro abriu o seu vinho. Encheu uma taça e percebeu que o vinho estava fechado (termo usado pelos Sommelier para definir um vinho pobre de aroma que precisa ser oxigenado para soltar os seus aromas), então ele entrou no site da vinícola, pesquisou e realmente precisava de pelo menos um hora de decanter!

Vencido pelo cansaço, ele resolver ir dormir, pensou “Amanhã no almoço ele vai estar perfeito!”, tomou um banho caiu na cama e adormeceu… às três da manhã acordou e escutou um barulho vindo da sala, levantou na ponta dos pés… ao chegar na sala, para o seu espanto, sentado na sua poltrona, com um taça do seu vinho na mão, saboreando com uma expressão de contentamento, bochechas vermelhas e a barba manchada de vinho, Ribeiro viu Santa Claus, mais conhecido como Papai Noel.

Não podia acreditar naquilo! E o pior, ele já tinha tomado quase todo o seu vinho. Criou coragem e apareceu na sala. Pigarreou: hum hum… Santa Claus olhou assustado e sorriu para ele dizendo: “Ribeiro, você foi um adulto muito bonzinho e vim te trazer um presente, aliás todos os anos eu passo aqui e sempre você deixa uma sobra de vinho para mim, mas dessa vez, você caprichou está maravilhoso!”

Ele refletiu e pensou que era verdade, pois todo ano deixava um vinho pela metade porque não aguentava beber mais e de manhã ele estava vazio. Sempre ficava naquela dúvida achando até que estava ficando meio louco. “Ah, era você! Mas que bonito, hein seu Papai Noel? E presente? Você nunca me deixou nem uma balinha!”

Papai Noel sorriu e respondeu: “meu caro amigo Ribeiro, meus presentes são espirituais… como foi o seu ano?” Ele respondeu dizendo que foi tudo bem e que não havia faltado nada, que suas filhas tiveram um ano de muita saúde, assim como a esposa, embora a grana estivesse sempre curta, não poderia reclamar de nada.
– “Isso mesmo! Quando fazemos o bem recebemos de presente uma proteção especial que dura um ano, claro, se você continuar alimentando, sendo bom e generoso com aqueles que ama e também com os estranhos.”
Ele tirou um óculos da bolsa e disse: “olhe por essas lentes mágicas”. Ao olhar, Ribeiro viu o carro que queria em forma etéria. “Tudo o que você deseja já está concedido, basta agora você fazer a sua parte.”

Ribeiro pegou uma taça e colocou dentro o restinho do Vega Sicília… estava maravilhoso! Papai Noel, olhando a cena, disse “se você conseguir guardar segredo vou lhe conceder uma garrafa mágica” – “como é isso?” ele falou: “encha essa garrafa de água”. Ele fez o que Papai Noel pediu: “coloca na taça” e em um passe de mágica, a água transformou-se em vinho, era o Vega Sicília mas estava melhor do que o anterior!

– “Todo ano, na noite de Natal, sem ninguém ver, você vai encher a garrafa e o líquido vai se transformar em vinho… mas se contar isso a alguém, a magia acaba!” Ribeiro disse que tudo bem. De repente, sua esposa apareceu e disse: “o que você está fazendo a essa hora acordado?! Eu ouvi vozes, você estava falando sozinho?” Ele olhou para o lado, a poltrona estava vazia e havia uma taça mas estava limpa, como se não houvesse deitado vinho nela… O vinho na garrafa estava na mesma quantidade que havia deixado antes de ter ido dormir…

Atordoado, respondeu: “será que estava sonhando que sou sonâmbulo?” Ela respondeu: sei lá, parece que está ficando maluco! Deixa esse vinho pra manhã e vem dormir”, ao que ele respondeu que já ia. Tampou a garrafa, desligou o pisca-pisca da tomada. De repente, o pisca ligou de novo, mas continuava desligado da tomada.
****
“Essa história aconteceu há sete anos… todo Natal tomo o Vega Sicília mágico e sempre deixo a metade para o meu amigo do polo Norte. Nunca mais nos encontramos… então, resolvi relatar essa história ao Sommelier André Ribeiro que protegeu meu verdadeiro nome usando o seu sobrenome. A única dúvida que eu tenho é saber se este ano a minha garrafa mágica ainda irá funcionar! Espero que sim, pois em forma de crônicas as verdade se escondem…”
#pordentrodovinho
Ilustração montagem Guilherme Mota

Anúncios