Celebrando 90 anos, Vinícola Aurora Lança Linha GIOIA

É notável a quantidade de indicações de procedência do terroir brasileiro, sobretudo na Região Sul, sem falar na nossa primeira e , por enquant, única Denominação de Origem, a do Vale dos Vinhedos.

Aliás, durante o período de isolamento social, nunca se viu tanto interesse do nosso povo no que diz respeito aos vinhos produzidos por aqui. Justamente por isso, volta e meia nos deparamos com novos produtos despontando no mercado, como é o caso da Linha GIOIA, lançada recentemente pela vinícola Aurora.

Em 2021 a Cooperativa Vinícola Aurora Faz 90 anos!

GIOIA Coloca D.O e I.Ps Brasileiras em Evidência

Para a estreia, que também marca os 90 anos da vinícola, a Aurora elaborou dois produtos inéditos dentro do seu portfólio de mais de 220 itens: o Gioia Merlot 2018 D.O Vale dos Vinhedos, o primeiro vinho nobre da empresa (ou seja, com teor alcoólico de 14,1% a 16%), e o Gioia Sur Lie Nature I.P Pinto Bandeira 2016, o primeiro espumante sem dégorgement da Aurora.

“Há mais de um ano e meio estamos desenvolvendo este projeto que levará produtos de extrema qualidade ao consumidor. É apenas o início do caminho que a Aurora está explorando e que deve ser ampliado com novos produtos ícones. São rótulos complexos, que carregam estilos diferentes de outras linhas da vinícola, mas que irão agradar todos os públicos”, acredita Renê Tonello, presidente do Conselho de Administração da Vinícola Aurora.

A inovação da linha GIOIA também é marcada nas embalagens dos dois produtos. Com acabamento impecável, os rótulos são modernos e alegres, trazendo a cor laranja como destaque, e caixa de seis unidades do Gioia Merlot 2018 D.O Vale dos Vinhedos em madeira. Linda de viver e já quero provar!

O Primeiro Vinho Nobre da Aurora

Elaborado no Vale dos Vinhedos – única região do Brasil com Denominação de Origem (D.O) – o Gioia Merlot 2018 D.O Vale dos Vinhedos é um produto com 15% de teor alcoólico e passagem de 12 meses por barrica de carvalho francês. De cor vermelha rubi intensa com traços violáceos, apresenta no olfato alta intensidade aromática, com expressivo caráter varietal da Merlot e excelente harmonia. É marcado pelos aromas de frutas como cereja e notas de carvalho, como caramelo, cacau, café e baunilha. No paladar é estruturado de taninos elegantes e aveludados, com grande volume de boca.

“A uva Merlot tem se mostrado muito capaz, resultando em excelentes produtos. A Serra Gaúcha tem uma relação muito grande com a variedade e no Vale dos Vinhedos é ainda maior. A Merlot é a uva tinta símbolo da nossa região”, pontua o enólogo-chefe da Vinícola Aurora, Flavio Zilio.

Pelo ótimo equilíbrio entre o seu aspecto olfativo e gustativo, o Gioia Merlot D.O Vale dos Vinhedos harmoniza com risoto ao funghi, farfalle ao molho de gorgonzola, queijos de massa dura e picanha grelhada. O vinho tem 26 mil garrafas numeradas e será comercializado em todo o país, em lojas especializadas e e-commerce parceiros.      

“Existe um crescimento e uma procura por produtos especiais, com Indicação Geográfica. São rótulos que passam pela avaliação de pessoas idôneas, especialistas que certificam produtos de origem e de qualidade, com ética e transparência”, complementa o enólogo.

Merlozão da Aurora, com selo da D.O Vale dos Vinhedos

Primeiro Espumante Sur Lie da Aurora, sem Degorgement

Com apenas mil unidades, o Gioia Sur Lie Nature I.P Pinto Bandeira 2016 é um espumante em sua forma mais original, sem dégorgement e, consequentemente, sem dosagem pós-dégorgement de licor de expedição. Por não passar por este afinamento, a autólise das leveduras ocorre enquanto a garrafa mantém-se fechada, sendo o grande diferencial deste exemplar. O espumante continua envelhecendo por tempo indeterminado e a decisão de interromper esse processo é única e exclusivamente do consumidor, que decidirá o tempo de maturação da bebida, para apreciá-la conforme sua preferência.

“A técnica conhecida pelo nome sur lie permite que a bebida permaneça em constante evolução, na presença de leveduras, até a abertura da garrafa, quando o espumante atinge sua plenitude”, explica Zilio.

O corte perfeito entre Chardonnay (60%), Pinot Noir (30%) e Riesling Itálico (10%) proporcionaram uma bebida única, de coloração amarelo claro, com perlage abundante e turbidez natural pela presença das leveduras. Com maturação mínima de 24 meses, esse espumante possui aromas que remetem à doçura de damascos e à robustez de amêndoas tostadas, com cremosidade bem presente. Toques elegantes de flores como a laranjeira se destacam, acompanhando seu paladar de acidez delicada. Harmoniza bem com ostras gratinadas, moqueca capixaba, ceviche de frutos do mar, carpaccio de polvo, canapés e pratos com carnes brancas.

“A rainha das uvas brancas, a Chardonnay, representa 60% da composição deste sur lie, ao lado das variedades Pinot Noir e Riesling Itálico, formando uma trinca perfeita. As cultivares se adaptaram extremamente bem ao terroir de Pinto Bandeira, que já tem como vocação natural e excelência para elaboração de espumantes”, garante o enólogo-chefe da Vinícola Aurora. Pinto Bandeira, também na Serra Gaúcha, é a segunda região demarcada a conquistar a Indicação de Procedência (IP) no Brasil, com altitude média de 730 metros acima do nível do mar.

O espumante Gioia Sur Lie Nature I.P Pinto Bandeira 2016está sendo vendido exclusivamente na Vinícola Aurora, na loja da unidade matriz, em Bento Gonçalves (RS), ou através do telefone (54) 3455.2095, com envio para todo o país.

Informações : M.Com Comunicação

Fotos: Eduardo Benini

Wine Drinks: Prosecco, Amoras e Um Toque de Alecrim Dá o Tom da Primavera

Viníferos, hoje trouxe wine drink inédito e que tem tudo a ver com a Primavera. Quem me conhece sabe da minha paixão por ervas aromáticas. Amo todas! Ultimamente tenho cultivado vasinhos aqui em casa e esta semana, por coincidência, fui presenteada com um de alecrim, que na minha opinião, é um dos mais perfumados. Sem falar que dá um up no humor, sendo utilizado, inclusive, para tratar a depressão.

ALECRIM: PERFEITO PARA DAR UMA BOSSA NOS DRINKS

Sendo assim, nada melhor do que reunir alecrim e um belo drink com vinho, do tipo refrescante, que tem tudo a ver com a estação! O alecrim é uma das ervas que mais combina com coquetéis. Se você colocar no fogo com água e açúcar, vira um xarope aromático capaz de incrementar qualquer mistura.

blackberry

O wine drink de hoje chega com um toque doce e herbáceo, combinados à efervescência do Prosecco, vinho italiano produzido com a uva Glera. Anote a receitinha!


Ingredientes:

2 xícaras de amoras frescas
1/4 de xícara e mais 2 colheres de sopa de açúcar
2/3 de xícara de água
1.5 colheres de sopa de alecrim fresco finamente picado
1 (750 ml) garrafa Prosecco (vinho branco espumante italiano), gelada
Para enfeitar: raminhos de alecrim frescos e amoras

Modo de Fazer:

Misture as amoras, o açúcar, a água e o alecrim em uma panela pequena. Mexa até engrossar e reduzir em cerca de dois terços, durante cerca de 20 minutos.

Despeje numa peneira e coe sobre uma jarra de vidro e deixe repousar por 5 minutos (deve sobrar cerca de 1/3 de xícara). Descarte os sólidos. Cubra a jarra e coloque na geladeira.

Divida o Prosecco entre 6 pequenas flautas e, em seguida, despeje 1,5 xícaras de xarope em cada bebida. Voilá! Surpreenda seus convidados!


Então é isso, pessoal! Fim de semana com amigos e drinks é tudo de bom! Ah, e se você quiser cultivar alecrim na sua casa, descobri que eles gostam de muita água! Portanto, regue todos os dias. Afinal, nada como poder colher os próprios temperos.

Até a próxima! Ótimos Vinhos e Drinks! Tim-Tim!

Referência: http://www.bradfordgreenhouses.com

Wine Drinks: 3 Coquetéis com Espumante para Agitar Seu Happy Hour

Além dos vinhos, eu amo o mundo da coquetelaria! Tanto isso é verdade que não abro mão dessa série de posts, que sem dúvida é uma das mais amadas pelos meus leitores, desde o início do Vila. Para mim, trata-se de uma ciência quase como a da gastronomia. Só que, aqui, é a magia de reunir nuances e sabores para criar uma bebida única e inesquecível!

MINIDRINKS008-Blog-2

Sim, sabores alcoólicos instigantes, como o do nosso amado Espumante Brut! Para esses casos, as pessoas costumam usar um Charmat para economizar. Mas, na sinceridade? Eu arriscaria um vinho elaborado pelo método tradicional (champenoise), mais complexo, sobretudo em aromas. Aquele cheirinho de “pão tostado’ faz sim, toda a diferença! Amo!

E foi pensando nisso que hoje trouxe 3 receitas deliciosas de Winedrinks com Espumante. Seja para você curtir num happy hour com os amigos ou num momento a dois, com certeza elas são garantias de sucesso!

1- BIG APPLE

Ingredientes
1 colher (sobremesa) de açúcar ou adoçante
1 colher (café) de canela em pó
1 fatia fina de maçã verde em meia-lua
90 ml de espumante brut
Modo de fazer
Numa tigela, misture bem o açúcar e a canela em pó. Envolva a lâmina da maçã com a mistura, formando uma crosta. Reserve. Em uma taça flûte ou tulipa, despeje o espumante. Junte a maçã em crosta e sirva.
big-apple-drink-com-champagne-ou-espumante
2- BERRY BUBBLES
Ingredientes
6 fatias finas de morango fresco
10 ml de licor de framboesa
10 ml de licor de amora
75 ml de espumante BRUT em uma taça flûte ou tulipa
Modo de fazer
Junte as lâminas de morango e os licores. Complete com o espumante e sirva.
berry-bubbles-drink-com-champagne-ou-espumante
3– FRISCO

Ingredientes
10 ml de xarope de hortelã
75 ml de espumante BRUT
1 folha de hortelã para decorar
Modo de fazer
Em uma taça, despeje o xarope e complete com o espumante. Decore a borda da taça com a hortelã e sirva.
frisco-drink-com-champagne-ou-espumante
Esses são drinks refrescantes e deliciosos, que combinam com qualquer estação do ano. Até para os dias mais frios, funcionam muito bem como Welcome Drink antes da degustação de brancos, rosés e tintos.
Ou seja, são chiques e fazem bonito em qualquer ocasião!
Então é isso, enoamigos! Até a próxima!
Ótimos drinks! Tim-Tim!
*Referências: Noiva com classe

Borbulhas Nacionais: Conhecimento e Descontração na École du Vin

Na última noite de sábado eu e o marido estivemos na École Du Vin, do amigo Sommelier Marcelo Marques, para o Master Class “Borbulhas Nacionais”, só com espumantes da nossa terra. Aliás, eu acredito muito em destino e parece que nos últimos meses o vinho brasileiro tem se aproximado de mim com muito amor no coração. E nem preciso mencionar que a recíproca é verdadeira.

WhatsApp Image 2017-05-15 at 12.04.27
Rótulos degustados em sua ordem, da esquerda para a direita.

Ando apaixonada pelos rótulos do nosso terroir, sem falar que faz tempo que eu desejava participar de uma Master Class do Marcelo. E soube que nos encontros da École já foram explorados “Vinhos Búlgaros”, “Vinhos Peruanos”, entre outros assuntos supercuriosos. Mas não é que tudo conspirou para que eu estivesse presente em “Borbulhas Nacionais”? O aulão foi além das minhas expectativas e agora conto tudo para vocês!

A ÉCOLE DU VIN

Se você acha que uma Master Class sobre vinhos tem que ser algo sério e repleto de rituais, aqui não é o caso. Na École do Vin, me senti numa reunião de amigos. Para começar, fomos recebidos pela linda e simpática Patricia Pacheco, que nos conduziu a um ambiente aconchegante e intimista, com uma bela vista para o Cristo Redentor. Sim, até ele estava de braços e coração abertos para o néctar brasileiro.

WhatsApp Image 2017-05-15 at 12.05.12
Sommelier Marcelo Marques em ação.

Esse clima de acolhimento e descontração se dá, sobretudo, pelo fato das turmas serem sempre reduzidas, com no máximo 10 participantes. Marcelo Marques conduziu a aula com maestria, falando sobre os métodos de produção do Espumante (charmat e champenoise), estilos, além de um pouco da história do nosso terroir e das vinícolas responsáveis pelos rótulos que em breve iríamos degustar. Uma verdadeira viagem que me deu orgulho de ser brasileira!

Aliás, a palavra “Wine Time” volta e meia era pronunciada. Nessa hora, belos espumantes nacionais eram derramados em nossas taças, sempre acompanhados de delícias como queijos, canapés e embutidos.

WhatsApp Image 2017-05-15 at 12.05.27
Sim! Também teve um Vinho Surpresa!

A cada pausa do Marcelo Marques, nós, participantes, trocávamos experiências, conhecimentos e tirávamos dúvidas. Afinal, como bem disse o Sommelier, “Se alguém chegar para você e disser que sabe TUDO sobre vinho, esse alguém é um grande mentiroso”. Está certo, Marcelo! Vinho é aprendizado constante e os maiores especialistas possuem como principal característica a humildade.

Em menos de 1 hora de evento passei a sentir como se conhecesse aquelas pessoas há muito e muitos anos. E foi exatamente esse o clima! Com certeza quero prestigiar outros encontros sempre que a agenda permitir.

BORBULHAS NACIONAIS DEGUSTADAS 

Foram servidos espumantes dos mais diversos para que degustássemos de forma a captar todas as nuances. Havia rótulos mais leves, elaborados pelo método Charmat (segunda fermentação em autoclaves – tanques de inox) e outros mais complexos, produzidos pelo método tradicional champenoise (com segunda fermentação na garrafa). Foram 8 vinhos em ordem aleatória, o que deixou a brincadeira ainda mais divertida!

WhatsApp Image 2017-05-15 at 12.04.46
Os espumantes e algumas das delícias servidas durante a  MasterClass

1- QUINTA DON BONIFÁCIO BRUT – Abrimos os trabalhos com esse exemplar de Caxias do Sul (RS). Elaborado pelo método Charmat, é leve, frutado e fácil de beber. Possui 12% de volume alcoólico (50% Chardonnay e 50% Pinot Noir) e alguns prêmios, como Bruxelas 2012 e Avaliação Nacional de Espumantes 2013/2015.

2- AURORA PINOT NOIR PROCEDÊNCIAS BRUT – Rótulo cooperativa vinícola Aurora, simplesmente a maior do Brasil quando se trata da produção de espumantes e vinhos tranquilos. Elaborado pelo método Charmat (100% Pinot Noir), possui uma linda coloração amarelo-acobreado e se apresentou mais complexo na taça, com um pouco de tostado, além dos já esperados aromas frutados e de um toque herbáceo. Adorei!

3- CAVE AMADEU ELEMENTOS BRUT (FAMÍLIA GEISSE) – Quando se trata de Geisse, sou muito suspeita para falar, visto que tenho amor profundo por tudo o que eles elaboram em sua Vinícola na IG de Pinto Bandeira (RS). O Cave Amadeu é uma de suas obras-primas. Elaborado pelo método Champenoise (80% Chardonnay e 20% Pinot Noir), é cremoso e possui perlage delicada e persistente, cor amarelo-palha médio e aromas de flores, leveduras e frutas maduras.

4- DON GUERINO BRUT – Produzido pelo método Charmat, o Brut da Don Guerino contém 100% da variedade Chardonnay, como um Blanc Des Blancs. Seu terroir está localizado em Alto Feliz, na Serra Gaúcha. De coloração amarelo-palha com reflexos esverdeados, chega no nariz com muitas flores e frutas.

5- RIO SOL BRUT ROSÉ GRAND PRESTIGE – Quem me conhece sabe que esse é o meu rótulo queridinho para o churrasco com os amigos. Elaborado pelo método Charmat (100% Syrah), o rótulo é produzido no Vale do São Francisco, um terroir relativamente novo, localizado entre os paralelos 8 e 9, no Nordeste Brasileiro (divisa entre Bahia e Pernambuco). Fresco e jovial, possui uma cor linda, cereja-claro. Muito frutado e floral, desce fácil e é, sem dúvida, um dos melhores custo-benefícios do mercado. 

6- CAVE AMADEU ELEMENTOS BRUT ROSÉ- Mais uma belezinha da família Geisse, esse rosado é elaborado pelo método Champenoise (100% Pinot Noir). Com perlage fina e elegante, é bem aromático, com notas de frutas vermelhas e um toque de especiarias. Simplesmente um dos meus rótulos favoritos.

7- MOSCATEL AQUARELA ROSÉ CASA PERINI – Enfim, a borbulha de sobremesa. Direto da Vinícola Casa Perini, anda famoso por ter sido escolhido como o vinho de sobremesa de uma das provas do badalado programa de TV MasterChef Brasil realizada no Vale dos Vinhedos. Como sou espectadora assídua do programa, estava bem curiosa para experimentar. E como me surpreendeu! Antes de tudo, foi um par perfeito para a deliciosa Mousse de Maracujá preparada pela Patricia.

Para completar, possui equilíbrio perfeito entre acidez e açúcar. Por isso, não chega a ser doce e enjoativo como vários outros exemplares de Moscatel que encontramos por aí. Possui uma coloração rosada linda e que fica ainda mais exuberante na garrafa transparente. No nariz, rola uma explosão de frutas e flores. Sensacional! 

8 – VINHO SURPRESA! BOSSA Nº 6 ESPUMANTE BELINNI VINÍCOLA HERMANN – Eis o tão falado rótulo surpresa. Uma inovação da Vinícola Hermann, de Bento Gonçalves, o Bossa nº 6 faz as vezes do drink italiano Bellini (receita original com Prosseco e Suco de Pêssego)É elaborado com Chardonnay e uma pequena quantidade de suco. De coloração rosada para vermelha, conta com notas de pêssego e frutas cítricas com um fundo que lembra baunilha. Fresco, é uma ótima ideia para um Welcome Drink  em parceria com canapés. Mais um excelente custo-benefício! Recomendo!


Então, é isso enoamigos! Sem dúvida esse encontro foi uma grata surpresa e o Sommelier Marcelo Marques mandou superbem! Explica sem complicação, sem mostrar o vinho como uma bebida intimidante. Recomendo para todos os apreciadores que desejam aprender brincando, sem o ambiente sério de muitos cursos voltados para profissionais. Foi um superprograma para o sábado à noite! Quero voltar mais vezes!

WhatsApp Image 2017-05-15 at 12.04.15
Cada participante levou para casa esses mimos da Ibravin 🙂

A École du Vin conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN), além das lojas Arte dos Vinhos (Cadeg), Deu La Deu Vinhos, Wine Way, Espírito do Vinho, Serrado Vinhos e Olivier Bebidas.  

Até a próxima!

Boa semana! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

Mar de Borbulhas: Miolo é a Primeira Vinícola Brasileira a Armazenar Suas Garrafas Em Caves Submarinas

Sempre falo por aqui que os espumantes brasileiros já ganharam o mundo. Afinal, não é de hoje que o nosso terroir é conhecido como um dos melhores para a produção desses vinhos, sendo, inclusive, comparado ao da mítica região francesa de Champagne.

unnamed

EFERVESCÊNCIA MARÍTIMA

E nossos produtores querem mais, muito mais! Este mês a Vinícola Miolo, uma das mais inovadoras do país, comemora os 6 meses de imersão do primeiro lote do espumante Miolo Cuvée Tradition Brut (um dos meus nacionais favoritos!) no mar da província de Bretagne, na França, e anuncia a imersão de um segundo lote ainda este ano.

“A imersão do primeiro lote já está gerando expectativas comerciais no Brasil e no exterior, pois vamos retirar as garrafas entre outubro e novembro deste ano, período em que tradicionalmente aumentam as vendas de espumantes devido às festas de final de ano. Certamente muitos apreciadores e colecionadores vão querer adquirir um exemplar do primeiro produto brasileiro envelhecido em cave submersa, antecipa Adriano Miolo, superintendente do grupo.

VANTAGENS DA CAVE SUBMARINA

Sabemos que o armazenamento perfeito de um vinho depende literalmente de condições ideais de “temperatura e pressão”, além de escuridão e umidade total.

A ideia de utilizar o mar como adega não é novidade. Em 2002, Yannick Heude, proprietário da Cave de L’Abbaye Saint-Jean, começou a experiência de submergir garrafas de vinho na baía de Saint-Malo. Em termos de temperatura, umidade e luz, Heude não tinha dúvidas de que o mar seria uma excelente adega. “O que nós não podíamos prever era o efeito das fortes marés e das correntes (a 15 km/h), que massageiam as garrafas duas vezes ao dia”, explica.

unnamed

Em 2007, 600 garrafas de vinho (metade tinto e metade branco) foram resgatadas do fundo da baía, depois de um ano de repouso em engradados de madeira. Além de Heude, produtores de vinhos da região do Loire, como Christophe Daviaud, estiveram presentes na degustação às cegas que se seguiu.

Para Daviaud, responsável pelos Anjou Village de Brissac-Quincé usados na experiência, os brancos apresentaram aromas de carvalho mais óbvios, enquanto que os tintos evoluíram mais lentamente, em comparação aos não-submersos.

“O processo de envelhecimento é certamente diferente. Parece que depois de um ano, o vinho sai do mar rejuvenescido, com aromas e sabores mais arredondados. água salgada como experiência. Não há dúvidas que o fenômeno das marés tem um papel importante nesses resultados”, explicou Yannick Heude 

A CAVE SUBMARINA DA MIOLO

As garrafas do Miolo Cuvée Tradition Brut estão dispostas horizontalmente em um container especial que propicia seu contato direto com as correntes marítimas. Elas serão comercializadas em uma edição especial no Brasil e na Europa.

A ação inédita realizada pela Miolo celebra o sucesso internacional do Cuvée Tradition Brut na França: ele foi o espumante brasileiro mais vendido em Paris em 2016. O rótulo é elaborado no Vale dos Vinhedos (RS) com uvas Chardonnay e Pinot Noir pelo Método Tradicional de fermentação na própria garrafa, o mesmo utilizado pelas maisons francesas para a elaboração de Champagne. Lembro-me de um reveillon inesquecível que tive com o Miolo Cuvée Tradition e nem preciso dizer que o ano seguinte foi maravilhoso.

Agora, a pergunta que não quer calar: Qual será o precinho do Cuvée submarino, hein? Estou mega ansiosa para experimentar todas as nuances da guarda desses espumantes que, sem dúvida, é muito especial!

Até a próxima! Ótimos Vinhos! Tim-Tim!

Referências: Diguste, Assessoria de Imprensa.