Wine Drinks: Um Chardonnay Aconchegante Para os Dias Frios

Já faz tempo que estava à procura de uma receitinha de coquetel com Chardonnay barricado, daquelas matadoras! Aliás, se você ainda acha que vinho branco não tem nada a ver com inverno, chegou a hora de mudar seus conceitos definitivamente.

Na minha opinião, esse estilo é perfeito para os dias mais frios do ano, quando se está a fim de desfrutar de uma bebida diferente, sobretudo se você é do tipo que não abre mão de um drink para celebrar com os amigos.

Essa delícia  pode vir antes ou depois dos vinhos escolhidos para a noite.

phpThumb_generated_thumbnail

Você quem sabe!

Ah, e transformar um Chardonnay com estágio em carvalho em um coquetel maravilhoso é mais fácil do que se imagina. Novamente, o nosso queridinho Aperol entra em cena para salvar a pátria. Anote a receitinha e prepare-se para os elogios!

INGREDIENTES

  • 120 ml de vinho branco, de preferência Chardonnay com estágio em barrica de carvalho.
  • 60 ml de Aperol
  • 5 gotas generosas de Orange Bitter (Trata-se de uma espécie de xarope aromático para dar mais sabor aos drinks. Vende aqui!. Mas, se você não encontrar, acho que vale substituir por Contreau ou qualquer outro licor de laranja).
  • Rodelas de Limão Siciliano ou Laranja para decorar.
  • Gelo.

MODO DE FAZER

Encha metade de um copo próprio para coquetéis com gelo. Adicione o Aperol, o Bitter e o Vinho Chardonnay, misturando-os bem. Em seguida, passe uma rodela de limão ou laranja na borda do copo, coloque na bebida e sirva-a imediatamente.

aperol


Adorei essa receitinha, pois é uma possibilidade de se usar o Aperol fora do tradicional Spritz com Prosecco. Sem falar que sempre é bom variar e testar novas formas de se degustar os nossos amados vinhos, não importa a estação do ano.

Então é isso! Reúna a sua galera e curta muito! Bom fim de semana! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

Referência: CHOW

Anúncios

Vinho Verde Wine Fest: Um Néctar Com a Cara do Brasil

Na última sexta-feira, dia 26 de maio, estive no Vinho Verde Wine Fest. Realizado no Iate Clube do Rio de Janeiro, o evento foi uma verdadeira homenagem ao caldo português que, na minha opinião, é um dos que mais combina com o nosso clima. E não falo só de calor! Sem dúvida, os Vinhos Verdes têm super a ver com a alegria e descontração do público brasileiro.

WhatsApp Image 2017-05-28 at 22.32.32

E foi uma profusão de gente bonita por todos os lados, que apreciou Loureiros, Arintos e Avessos em todo seu esplendor e delícia!

Entre os produtores e distribuidores presentes estavam Abrigueiros – Casa da Senra, Adega de Monção, Agri-Roncão – Quinta de Linhares, Aveleda, Campelo, Enoport United Wines, PROVAM, Quinta & Casa das Hortas, Quinta da Lixa, Quinta das Arcas, Quinta de Carapeços, Quinta de Lourosa, Soalheiro, Solar de Serrade, Vercoope e Viniverde/Adega Ponte da Barca.

WINE FEST MARCADO POR MUITA ALEGRIA E DESCONTRAÇÃO

Logo na chegada, encontrei meu amigo Fernando Lima, do Blog Vinhos com Fernando Lima, que me apresentou suas amigas, enófilas supersimpáticas com as quais fiz logo amizade. Recebemos óculos escuros de armação verde que eram simplesmente a cara do clima de descontração que tomou conta da feira.

WhatsApp Image 2017-05-28 at 22.31.43
Com Luciana Paes Leme, uma das amigas que conheci através do Fernando Lima.

Já que estava cedo, visitamos os stands com toda a calma e conversamos com representantes e produtores. Confesso que me surpreendi com muita coisa! Aliás, muito do que eu conhecia dos vinhos verdes (que na verdade não são verdes e sim elaborados com castas provenientes da Região portuguesa dos Vinhos Verdes) correspondia aos rótulos mais conhecidos e distribuídos aqui pelo Brasil. Ou seja, amei ter contato com as novidades em varietais e vinícolas.

ÓTIMAS SURPRESAS ENGARRAFADAS

Como boa apreciadora dos Rosés portugueses, adorei tudo o que provei do estilo, com destaque para o rótulo da Quinta de Lourosa, primeiro stand que visitei.

quinta_lourosa

Aliás, a própria enóloga da Quinta estava lá e me contou sobre a expressão dos vinhos, sendo que o que me chamou mais a atenção foi um Alvarinho com 13% de teor alcoólico, algo raro em se tratando de vinhos verdes, que costumam ter entre 8 e 11%. “As uvas dessa safra amadureceram além do normal, devido ao clima mais ensolarado. E todo o açúcar se transformou em álcool durante a fermentação”, explicou ela. 

Outra surpresa ficou por conta do famoso Soalheiro Alvarinho Reserva, distribuído pela Importadora Mistral. Possui corpo e complexidade, com um toque discreto de carvalho. Por falar em Alvarinho, ela é a varietal mais célebre da região, justamente por dar origem a caldos mais estruturados.

Soalheiro

Entretanto, os vinhos verdes mais leves também tiveram seu lugar de destaque no evento. Inclusive, segundo minha amiga Marcela Lima, esses são os exemplares que mais combinam com seu paladar. E, na minha opinião, vão superbem geladinhos, na beira da piscina, de preferência como acompanhamento para uma bela porção de bolinhos de bacalhau. Nada mais português e brazuca ao mesmo tempo!

18738458_1366279720119672_1993456056188106532_o
Clima de descontração total!

No quesito vinhos leves, entre os que mais me chamaram a atenção estavam o meu queridinho Acácio e o Terra de Camões, ambos de ótimo custo-benefício. Porém, entre os leves, amei muito a linha Estreia, distribuída pela Adega Cooperativa Ponte da Barca.

WhatsApp Image 2017-05-28 at 22.28.00

O do rótulo Estreia verdinho, feito com Loureiro, Trajadura e Arinto foi o meu favorito! O Rosé deles (Vinhão, Borraçal e Espadeiro) também não decepcionou. Já tinha me deparado com esses rótulos à venda no supermercado Pão de Açúcar e por pouco não comprei para experimentar. Estou até agora pensando o que eu tinha na cabeça para não ter levado nem uma garrafinha.. rsrsr.

SHOWCOOKINGS E “CONVERSAS COM VINHO”

E o Wine Fest de sexta contou, ainda, com 2 Showcookings e 3 Conversas Com Vinho. Infelizmente não pude acompanhar todos eles, devido aos horários disputadíssimos.

Contudo, tive a sorte de acompanhar o Showcooking da Chef Ellen Gonzalez, do Restaurante Miam Miam. Ela explicou para a gente como fazer camarão empanado com chutney de manga e sorvete de coentro. Um prato que harmoniza muito com o Vinho Verde, estrela do evento. Aliás, foi o melhor chutney de manga que já provei na vida. Sem falar que a Chef é simpatica e muito solícita. Uma fofa!

18671025_10212145620093620_2383838280885739355_n
Showcooking com Ellen Gonzalez, do Miam Miam

Logo depois, dei uma conferida no “Conversa Com Vinho” com o Professor Euclides Penedo Borges, da ABS-RJ. Já disse por aqui que sou profunda admiradora do trabalho dele. Afinal, o cara é uma inspiração quando se trata de harmonização entre vinho e comida, tanto que o mesmo falou sobre “Vinhos à Mesa”, demonstrando o quanto os vinhos verdes são gastronômicos. Muito bacana!

O evento contou, ainda, com música ao vivo (um sambinha delícia), além de Food Truck na entrada, que nos brindou com pratos inspirados na culinária lusitana. A feira foi organizada pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

Enfim, o Vinho Verde Wine Fest de sexta foi um tremendo sucesso, que se repetiu no sábado, quando contou com 3 Master Classes. O Vinho Verde é uma marca internacional que se refere a todos os vinhos produzidos no noroeste de Portugal, uma das regiões mais antigas do país, existente desde os tempos dos romanos.

vinho-verde-wine-fest-chega-ao-rio-de-janeiro_logo

São vinhos em sua maioria leves e jovens, com a cara do público brasileiro e carioca. Quer saber mais sobre os Vinhos Verdes? Então dá uma olhada nesse artigo que escrevi sobre eles, no último verão. 

Então é isso, enoamigos! Até a próxima! Boa semana! Ótimos vinhos! Tim-Tim!

Vinho Verde Wine Fest: www.vinhoverdewinefest.com.br 


Road Show Inovini 2017 Estreia Com Novidades

Está aberta a temporada de eventos viníferos de 2017. E, para começar, recebi todo o roteiro do Road Show da Importadora Inovini. A novidade é que esse o ano o evento terá duas edições. Com estreia no mês que vem (entre os dias 3 e 7 de abril), o encontro percorrerá as cidades de Sorocaba, Jundiaí, Botucatu, Araraquara e Ribeirão Preto.

roadshow

Durante o evento, o público poderá interagir e conhecer um pouco mais sobre cada vinho apresentado, por meio de degustações e debates com representantes de cada vinícola – vinhos premiados produzidos em importantes regiões que estarão com preços e condições especiais.

 VINÍCOLAS PARTICIPANTES

Nomes como Los Vascos (Chile); González Byass (Espanha); Doña Paula (Argentina), Undurraga (Chile), Achaval – Ferrer (Argentina); Hardy´s (Austrália) e Kumala (África do Sul) marcam presença, e serão apresentados pelos representantes das vinícolas. Caso de Antonio Palacios Gonzalez, da González Byass, Juan Pablo Mozo de LosVascos, Nicolas Farias Torres, da Undurraga, Patricia Lambert da Achaval-Ferrer, do Luis Alejandro Peres, da Doña Paula e do Luis Enrique Izquierdo, de Hardys/Kumala.

roadshow2

A escolha das cidades do Road Show é sempre uma decisão estratégica da Inovini. Ano passado realizamos na região sul do país e foi um grande sucesso! Em 2017 resolvemos fazer dois Road Shows, um em cada semestre, sendo o primeiro em cidades do interior de São Paulo. Sabemos que ainda temos muito trabalho para fazer nesse mercado e o Road Show será o pontapé inicial de parcerias promissoras com as lojas de vinhos ícones da região”, diz a gerente da divisão de vinhos da Importadora Aurora,Rita lbañez.

 AGENDA DO EVENTO

Serviço: Road Show Inovini 2017primeira edição 

  • Data: 03 de abril
  • Cidade: Sorocaba
  • Local: Padaria Real – Av. Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 2.650 – Alto da Boa Vista, Sorocaba.
  • Horário: 20h às 23h
  • Preço: R$ 150,00 (o ingresso dá direito ao crédito de R$ 50,00 para compra de vinhos do evento).
  • Telefone para reservas e informações: (15) 3333-2500

  • Data: 04 de abril
  • Cidade: Jundiaí
  • Local: Espacio La Fiesta – Av. Comend. Gumercindo Barranqueiros, 2121 – Malota, Jundiaí.
  • Evento em parceria com Empório Pirana.
  • Horário: 18h às 22h
  • Preço: R$ 150,00 (o ingresso dá direito a crédito de R$ 150,00 para compra de vinhos do evento).
  • Telefone para reservas e informações: (11) 4815-2230

  • Data: 05 de abril
  • Cidade: Botucatu
  • Local: Adega Paratodos – R. José Benedito Nogueira, 8 – Jardim Tropical, Botucatu.
  • Horário: 19h às 22h30
  • Preço: R$ 125,00 (o ingresso dá direito ao crédito de R$ 70,00 para compra de vinhos do evento).
  • Telefone para reservas e informações: (14) 3815-1000 / 3814-3699

  • Data: 06 de abril
  • Cidade: Araraquara
  • Local: Novo Hotel Municipal – R. São Bento, 734 – Centro, Araraquara.
  • Evento em parceria com Casa Deliza.
  • Horário: 19h às 23h
  • Preço: R$ 125,00 (o ingresso dá direito ao crédito de R$ 70,00 para compra de vinhos do evento).
  • Telefone para reservas e informações: (16) 3331-3100 (Casa Deliza)

  • Data: 07 de abril
  • Cidade: Ribeirão Preto
  • Local: Empório Sta. Therezinha (Shopping Iguatemi). O evento será no espaço em frente ao Empório.
  • Horário: 18h às 22h
  • Preço: R$ 90,00 (o ingresso dá direito ao crédito de R$ 50,00 para compra de vinhos do evento).
  • Telefone para reservas e informações: (16) 3904-3665

Gosto muito dos eventos de degustação, pois ajuda a abrir os nossos horizontes para rótulos que talvez a gente nem pensasse comprar. Através deles, conhecemos, ainda, novos produtores e entusiastas do vinho. E, sim, são ótimos para fazer amizade com outros que apreciam o néctar tanto quanto nós.

Boa quarta! Bons Vinhos! Tim-Tim!

Loja Virtual Com Vinícola Própria Traz Inovação Para o Mundo do Vinho

Não é a Vinícola com Loja Virtual que estamos habituados a ver por aí. É Loja Virtual com Vinícola própria! E logo que me deparei com o site da Wine For Me, percebi que essa ideia poderia dar um caldo (por sinal, bem fermentado!).

pouring-wine-1952051_640

Um dos destaques fica por conta de que essa proposta pode impactar os rótulos de forma muito positiva, tanto pela elaboração de um vinho que atenda todas as expectativas do enófilo, quanto pelo fator custo x benefício, que faz tanta diferença na nossa vida.

Em conversa por e-mail, o Diretor-Presidente da Wine For Me, Mario Verdini Meireles, explicou melhor essa ideia, que tem tudo para conquistar os amantes do vinho:

Vila Vinífera: Qual é a proposta da Wine For Me? 
Mario Verdini: A Wine For Me foi criada para a escolha que vai além da compra; saborear uma ocasião em que o principal motivo é você mesmo.
 

Vila Vinífera: O nome já diz tudo, né? 

Mario Verdini: Sim, vinho para mim! Vinho para brindar momentos, um convite a comemorar a vida, a minha, a sua, a nossa vida.

Vila Vinífera: A segmentação do público pode ser feita de acordo com os gostos pessoais de cada um?

Mario Verdini: Disposta a compartilhar o mundo dos vinhos, Wine For Me deseja fazer amigos por amor ao sabor. Quem conhece ama e, quem começa a se interessar, se apaixona. Pensando nisso, buscamos atrair pessoas através da variedade de conteúdo e custo/benefício incomparável, encontrados nas redes sociais ou loja online com formas de busca intuitivas, seja por uva, país ou safra.

Vila Vinífera: A empresa possui uma vinícola própria, em Portugal. Como vocês determinam a demanda dos vinhos junto aos enólogos, bem como os diversos estilos que irão produzir?
Mario Verdini: Como bons portugueses alentejanos, acreditamos em mão na massa e no resultado de quem trabalha de verdade. Sem dúvida as condições externas influenciam, economia desfavorável, impostos altos e crises, fatores considerados de alto risco por enólogos e empresários do segmento. Alguns enxergam como dificuldade, nós vemos como desafio para criarmos a oportunidade. E pensando em mercado, vemos potencial no consumo brasileiro e confiamos na cultura adaptável que existe aqui. 
vineyard-1612092_640
A Wine For Me vem para colaborar para uma nova cultura no consumo e disseminar a boa influência dos vinhos à mesa através de variedade de bons produtos portugueses, chilenos e argentinos explorando castas, safras, temperaturas, dos nossos vinhos e outros tão bons quanto.
 
Temos direcionamento em manter as influências de origem portuguesa, trazendo mais sabores regionais como Dão, Douro, entre outros próximos à nossa vinícola Encosta de São Romão no Alentejo. Acreditamos no retorno positivo com a certeza de que todos os momentos merecem vinho, sabor de verdade.
Vila Vinífera: Qual o diferencial da Wine For Me frente à concorrência?
Mario Verdini: Apostamos na criação de uma nova marca digital de influência em vinhos envolvendo as infinitas possibilidades decorrentes do segmento como: decoração, gastronomia, viagens, cinema, música… Wine For Me vem ao mercado disposta a descobrir e degustar mais sobre o mundo dos vinhos junto ao público com alta qualidade e baixo valor nos rótulos exclusivos, tornando acessível a cultura de bons vinhos à mesa brasileira.

O site não trabalha apenas com vinhos de sua vinícola portuguesa. O portfólio conta, ainda, com outros rótulos  oriundos da Argentina, Chile, Califórnia e Portugal (lógico!).
ENCOSTA DE SÃO ROMÃO
Curiosa, como sou, quis logo conferir essa novidade e a Wine For Me me enviou uma amostra do Encosta de São Romão, produzido em sua vinícola própria, a Outeiro de São Romão, situada na região do Alentejo, em Portugal.
O Encosta de São Romão 2015 é formulado com as castas Alicante, Aragonez (que é a mesma Tempranillo espanhola), Syrah e Touriga.
Outeiro São Romão Tinto
De coloração Rubi, com aro Rubi-claro, servido a 16ºC o Encosta de São Romão já invade o olfato com uma explosão de frutas vermelhas e negras frescas, como Amora, Ameixa, Cereja e Framboesa. Na boca é seco, com acidez e taninos na medida. O final é longo e persistente (contei 8 segundos!). 
Sem dúvida, ficaria perfeito com pratos à base de cordeiro e outras carnes vermelhas, sobretudo a de porco. Já imagino um leitão típico da região portuguesa da Bairrada com esse vinho. Hummmm… qualquer adjetivo abaixo de “divino” seria pouco para essa combinação.

Esses dias de folga e folia me motivaram a ir em busca de novidades. E, sim, esse ano eu quero registrar tudo aqui para vocês. Afinal, esse mundo vinífero é tão vasto que a gente tem mais é que explorar tudo o que temos direito. Vamos juntos!
alcohol-1853380_640
Então é isso, galera da enofilia. Boa semana! Bons Vinhos! Tim-Tim!

Os Melhores Vinhos Sauvignon Blanc do Mundo

Sou apaixonada por vinhos da casta Sauvignon Blanc. Tudo porque, além de frescos, são extremamente aromáticos. E, sim, a análise olfativa é a etapa da degustação que eu mais amo.

white-wine-with-a-view-1322142-639x426

Pois bem, então hoje vamos à caça dos melhores exemplares de Sauvignon Blanc do mundo. Vem comigo e potencialize sua experiência:

AUSTRÁLIA E NOVA ZELÂNDIA

Sou completamente apaixonada pelos rótulos da Nova Zelândia. É certo que a região se tornou uma das mais famosas quando se trata de Sauvignon Blanc, sobretudo a cidade de Marlbourough. Eles tendem a ser muuuuito mais aromáticos que os franceses, por exemplo.

Ao degustar um SB da Nova Zelândia, espere por: maracujá, pimenta verde, folhas de groselha…

Na Austrália, Adelaide Hills é o refúgio da Sauvignon Blanc. Lá, é possível encontrar vinhos frescos e bastante frutados.

Ao degustar um SB da Austrália, espere por: frutas tropicais (abacaxi, maracujá..), raspas de limão, groselha…

wine and grapevine

FRANÇA

Na França, as duas principais regiões produtoras de Sauvignon Blanc  são o Vale do Loire e Bordeaux. No Loire, há duas aldeias (Sancerre e Pouilly-Fumé) que se tornaram famosas por seus vinhos excepcionais, com frescor e sabores bem acentuados. 

Ao degustar um SB do Vale do Loire, espere por: folha de groselha, grama cortada, urtiga…grama

ESTADOS UNIDOS

Os EUA produzem vinhos menos herbáceos e com aromas mais particulares, já que suas regiões vinícolas são mais quentes que as europeias e neozelandesas. É possível que você se depare com rótulos “Fumé Blanc”, que nada mais é do que um nome diferente para a casta, adotado pelo pioneiro Robert Mondavi nos anos 60. 

Napa Valley é a região onde mais se produz Sauvignon Blanc na América, sendo que é uma das poucas no mundo onde se encontram exemplares barricados. Sou exímia apreciadora desses rótulos, cujas características aromáticas explodem em novas nuances, próprias do carvalho. Já tive oportunidade de provar um barricado da Nova Zelândia que até hoje não me sai da memória.

Ao degustar um SB dos EUA barricado, espere por: grama cortada, aspargos, torrefação, baunilha, alcaçuz…

Ao degustar um SB  dos EUA com pouco tempo de barrica, espere por: pêra, maçã, mamão, baunilha…

Ao degustar um SB dos EUA unoaked (sem barrica), espere por: casca de limão, maracujá, grama cortada…

white-wine-1318942-639x583

CHILE

O Chile é um dos grandes produtores de Sauvignon Blanc do mundo, especialmente em suas regiões mais frias, como Casablanca, San Antonio e Valparaíso. Lá, você encontrará uma das expressões mais aromáticas desta casta. E se tratando de Chile, pode esperar por rótulos com ótimo custo-benefício aqui no Brasil.

Ao degustar uma SB do Chile, espere por: frutas cítricas, abacaxi, maçã verde, pêra, nectarina, grama cortada. 

ÁFRICA DO SUL

A África do Sul também produz maravilhosos vinhos da casta Sauvignon Blanc. Aqui vemos métodos de vinificação influenciados tanto pela escola de Bordeaux quanto da Nova Zelândia. Por um lado, alguns rótulos são bastante frutados, porém, com corpo mais leve que os neozelandeses. 

O método alternativo da África do Sul inclui o uso do carvalho, resultando em exemplares que se aproximam de um Bordeaux branco. Isso permite que esses vinhos possam envelhecer em garrafa com tranquilidade. No que diz respeito às regiões geográficas, as principais são Constantia e Elgin, devido às suas proximidades com o mar e as melhores correntes de ar. 

IMG_0632b

Ao degustar um exemplar de SB da África do Sul, espere por: frutas tropicais, abacaxi, maçã, casca de laranja, melão…

Enfim, espero que este guia te ajude na busca dos melhores vinhos Sauvignon Blanc. Seja para acompanhar aquele prato de frutos do mar ou o queijinho de cabra, é o estilo de vinho que faço questão de ter sempre na adega.  Por fim, não tenha medo de explorar outros países, como México e o nosso Brasil, que vêm se destacando muito no cenário mundial.

Bom início de semana! Bons vinhos! Tim-Tim!

5 Estilos de Vinhos Tintos Que Te Darão Uma Verdadeira Aula Sobre Taninos

Logo que comecei a me interessar por vinhos, há cerca de 10 anos, uma das minhas maiores dúvidas era a respeito dos taninos. O que são? Como os experts conseguem identificá-los na bebida? O tempo passou e, após muitos livros e centenas de rótulos degustados, hoje posso dizer que tal aspecto se tornou algo muito natural.

wine-1466691-639x479

Mas não é para os enófilos experientes que escrevo esse artigo e sim para você, que começou a apreciar vinhos recentemente e ainda está se familiarizando com os conceitos e experiências gustativas. Entender os taninos pode ser muito divertido, sobretudo na prática. Então, vamos lá!

DEFININDO TANICIDADE

De forma bem simples, Taninos são compostos encontrados nos vinhos capazes de provocar uma certa sensação de “boca seca”. É como quando saboreamos uma maçã e sentimos a “cica” da fruta. É fácil captar o tanino quando se coloca a ponta da língua no céu da boca antes e após degustar o vinho. Você logo percebe a diferença. Mas é fato que os taninos são muito mais que isso. Eles estão presentes nas cascas, sementes e engaço (caule) das uvas, assim como no carvalho da barrica onde a bebida é envelhecida. E, além de provocar adstringência, o tanino também protege o vinho à medida que o ajuda a amadurecer, adicionando profundidade e novas nuances.

Todos os tintos têm taninos. Porém, alguns possuem mais do que outros. E são esses vinhos que nos ajudarão a entender a Tanicidade, tornando-a mais fácil de ser percebida.

CABERNET SAUVIGNON DE BORDEAUX (MARGEM ESQUERDA) 

A margem esquerda de Bordeaux é o berço da Cabernet Sauvignon, rainha das uvas tintas e frequentemente associada à Tanicidade. Mesmo que a maioria dos países cultive esta cepa, não há melhor forma de provar os taninos da Cabernet do que degustando um jovem Bordeaux da margem esquerda da região. Em sua juventude, os taninos de Bordeaux são tão potentes, que a sua sensação na boca é inconfundível. Talvez por isso seja tão difícil degustar um Bordeaux jovem e tão delicioso desfrutá-lo na maturidade, quando seus taninos se tornam sedosos – motivo pelo qual esses exemplares envelhecidos chegam a alcançar preços estratosféricos. 

OANV340.jpg

*Dica: Se você quiser experimentar um Bordeaux jovem, aposte em um da margem direita. Como nesses exemplares a Merlot é a casta que domina, o vinho tende a ser macio, mesmo em sua juventude. 

TEMPRANILLO

Os vinhos desta casta cultivada na Espanha tendem a ser ácidos, ao mesmo tempo em que carregam taninos bem acentuados. Nos exemplares de Rioja Reserva e Gran Reserva isso se torna ainda mais nítido, visto que estes permanecem, no mínimo, 2 anos em barricas de carvalho antes de serem engarrafados. 

barrel-1223294-639x424

Se você quiser entender como o carvalho realmente afeta o tanino (e tiver oportunidade, tipo um amigo na Espanha), pegue uma garrafa de Cosecha Rioja e outra de Reserva Rioja. O primeiro nunca viu madeira, enquanto o segundo fica armazenado em barrica por pelo menos 2 anos. Isso é para os CdF’s do mundo do vinho, mas acredito que seja divertido..rsrs.

NEBBIOLO 

A uva dos italianos Barolo e Barbaresco possui taninos robustos, acentuados e de alta acidez. Por isso, também é o tipo de vinho que se suaviza com o passar do tempo. Logo, neste caso, assim como no do Cabernet da margem esquerda, “quanto mais velho , melhor”.

SANGIOVESE

Não é a toa que os vinhos elaborados com essa uva são chamados de “empoeirados”. Pegue uma garrafa de Brunello ou Chianti e perceba como o tanino se encaixa perfeitamente para se expressar em um vinho rústico e profundo.

TANNAT

Nesse caso, o nome já diz tudo. Batizado de Tannat devido aos taninos encontrados nesta uva, esse néctar costuma ser potente e corajoso. É o tipo do vinho para quem deseja entender os taninos a fundo, com direito a uma definição bem prática e genuína.

red-grapes-1320781-640x480

Gostaram da experiência? Então, que tal escolher um desses tintos para provar e sentir todas as características dos taninos? Aposto que será divertido e instrutivo.

Até amanhã! Bons vinhos! Tim-Tim!

Wine Drinks: Limonada de Vinho Tinto

Sexta-feira, como sempre, é dia de aprender a preparar drinks com o nosso néctar dos deuses. O de hoje chegou para quebrar paradigmas. Afinal, limão e vinho tinto? Como assim?

lo3d0564
Imagem: Veja SP

Ficou curioso para experimentar? Então, anota aí:

Ingredientes:
2 colheres de chá de açúcar
1 colher de sopa de suco de limão
1 dose de conhaque
1 dose de vinho tinto seco de estilo mais leve, como Pinot Noir, Beaujolais Noveau, Merlot ou Carmenère (de preferência sem passagem por barricas de carvalho). 
Soda Limonada (versão normal ou zero)

Modo de Preparo:
Num copo alto dissolva o açúcar no suco de limão, acrescente o conhaque e mexa com uma colher, acrescente gelo e adicione a soda até completar 3/4 do copo, flutue o vinho e não mexa mais. Em seguida, sirva em uma taça própria para vinho tinto.

Rende 1 porção.

lime-755289_640

Já vi que o happy hour de amanhã tem tudo para ser animado! Reúna os amigos e divirtam-se preparando este super Wine Drink.

Até a próxima! Tim-Tim!